Em pronunciamento de última hora, Temer afirma que “se tivesse cometido delito, não teria condições de presidir o Brasil”

Temer em pronunciamento de última hora (Foto: Reprodução/Internet)

Temer em pronunciamento de última hora (Foto: Reprodução/Internet)

Michel Temer, presidente interino, afirmou que se tivesse cometido algum delito, não teria condições de presidir o país. A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (16), durante pronunciamento no Palácio do Planalto.

Temer foi citado por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, em sua delação premiada à Operação Lava Jato, que foi tornada pública pelo STF (Supremo Tribunal Federal) ontem.

“Alguém que teria cometido aquele delito irresponsável que o cidadão Machado apontou não teria até condições de presidir o país”, afirmou. O presidente interino considerou as afirmações de Machado como “manifestação irresponsável, leviana, mentirosa e criminosa”.

Segundo Machado, Temer negociou com ele o repasse de R$ 1,5 milhão de propina para a campanha de Gabriel Chalita (PDT) à Prefeitura de São Paulo, em 2012, pelo PMDB.

O pronunciamento, feito de última hora, não constava na agenda oficial de Temer. O presidente cogita usar nesta sexta-feira (17) a rede nacional de rádio e TV para fazer um balanço do seu primeiro mês no cargo, completado no último domingo (12).

Temer aproveitou sua manifestação de hoje para falar sobre as medidas tomadas por ele desde que assumiu como presidente interino, após o afastamento de Dilma Rousseff. “Ao longo deste mês, nós praticamos os mais variados gestos com vistas a tirar o país da crise profunda em que mergulhou”.

Com informações da UOL

Deixe uma resposta