“Enquanto família, nós esperamos além de justiça, que ele fique preso”, diz irmã de Alice Nilza

Alice tinha 19 anos e foi morta, próximo ao Campus da UNEB, em Juazeiro (Foto: Facebook)

Quase seis meses após o assassinato de Alice Nilze Rodrigues, crime que chocou a região do Vale do São Francisco em janeiro deste ano, a família da jovem continua lutando por justiça e cobrando a condenação de Nielton Gonçalves Soares, acusado pelo crime bárbaro.

Em entrevista ao Blog Waldiney Passos, Holglas Rodrigues, Policial Militar e irmã da vítima, relatou como tem sido a rotina da família desde a morte da irmã caçula. “Foi uma perda repentina de uma jovem de 19 anos, atleta, estudante, que preenchia toda a casa. É algo que hoje, nós estamos lutando, até para sobreviver”, contou.

Alice foi brutalmente assassinada no dia 17 de janeiro, seu corpo foi encontrado em um matagal, próximo ao Campus da UNEB, em Juazeiro (BA), apresentando várias marcas de violência. Nas buscas pelo autor do sinistro, a polícia chegou até Nielton , que não aceitava o fim do relacionamento que teve com a vítima.

No primeiro momento, o acusado negou a autoria do crime. Na casa de Nielton, no bairro Castelo Branco, os policiais encontraram roupas dele sujas de sangue, além do aparelho celular da vítima. Ele foi preso em flagrante e teve sua prisão decretada, após passar por audiência de custódia.

“Eles não tinham um relacionamento, eles tiveram dois ou três encontros, ‘ficaram’, e ela não quis mais nenhum relacionamento com ele. Então, ele transtornado vivia atrás dela. Eu soube depois do assassinato, que ele andava ameaçando ela, perseguindo mesmo”, disse Holglas.

“Nós enquanto família esperamos além de justiça, que ele fique preso, e que o Estado mantenha ele preso por muito tempo, por que ele vai fazer novas vítimas. Ele tem que ficar atrás das grades. E nós, enquanto população, enquanto comunidade, temos que lutar por isso”, conclui.

O crime

De acordo com a irmã de Alice, inconformado com o término do relacionamento estabelecido, além das perseguições e ameaças, Nielton divulgou fotos de Alice seminua. Fato que está inserido nos autos do processo contra o acusado.

Na semana do crime, Nielton pediu desculpas à Alice e ela confiou. “Por confiança ela estava indo ao Centro, ligou pra ele, pediu essa carona a ele. Ela tinha ido sacar um dinheiro para a compra de uma moto, que nós duas estávamos comprando, e além de tudo ele roubou, levou o dinheiro dela, e em seguida, na tarde desse mesmo dia, a gente soube do crime”, afirma Holglas.

Justiça

Nielton foi denunciado por Homicídio Qualificado e teve sua prisão preventiva decretada um dia depois do crime. No dia 24 de maio, Nielton participou de uma audiência concentrada de instrução e julgamento em Juazeiro, na qual, segundo Holglas Rodrigues, ficou definido que o acusado será submetido a júri popular, que deve acontecer neste segundo semestres, mas ainda não tem data marcada.

“A gente espera que a justiça seja feita em todos os seus aspectos jurídicos e que ele pague pelo crime que ele cometeu. Infelizmente nós não temos uma justiça em que seja equiparada ao crime que ele cometeu, por que se a gente tivesse uma boa justiça seria antes do criminoso tentar tirar a vida de outra pessoa, ele pensasse que a dele também estaria em jogo. Ele deve ficar preso para que ele não vitime outras mulheres, outras família, por que não é só a vítima que morre, é praticamente a família toda”, expressou Holglas em nome do seu pai e dos outros sete irmãos e em memória de sua mãe.

Deixe uma resposta