Estudantes desocupam Uneb após 40 dias de ocupação, em Juazeiro

(Foto: Internet)

O movimento “Ocupa Uneb” afirmou que irá “aplicar outras formas de luta” (Foto: Internet)

Os estudantes que estavam a 40 dias ocupando a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Juazeiro (BA), decidiram desocupar a Universidade. O movimento “Ocupa Uneb” afirmou, por meio de nota, que irá “aplicar outras formas de luta” e que agora se inicia “um novo ciclo de luta”.

Confira a íntegra da nota do movimento:

Hoje, 26 de Novembro de 2016, o movimento Ocupa UNEB inicia um novo ciclo de luta. Após quase 40 dias de uma ocupação vitoriosa, chegamos num consenso de que iremos aplicar outras formas de luta, entendendo que todas elas quando democráticas são feitas a partir de um processo de direção coletiva que também é válida.

No dia 18 de Outubro de 2016, em uma assembleia histórica com a participação de todos os cursos deliberamos a ocupação do Campus III, com a paralisação de todas as atividades institucionais, a fim de nos somar a luta nacional contra a PEC 241/55, que congela os investimentos em saúde e educação por 20 anos, afetando diretamente o funcionamento de uma Universidade pública, gratuita, laica e de qualidade, mas também como toda a população brasileira.

Durante a ocupação possibilitamos a toda à comunidade um processo contínuo de formação não apenas sobre a PEC do fim do mundo, mas diversos temas transversais que influenciam a educação, como Economia Política, Feminismo, Questão Agrária no Brasil, Criminalização dos Movimentos Sociais, História do Movimento Estudantil, Racismo e Política de Cotas, o Projeto Escola Sem Partido e diversos outros. Resisistimos também a uma série de ataques verbais, psicológicos e até mesmo físicos, que surgiram por parte de setores fascistas, que numa posição antidemocrática queriam o fim da ocupação. Entendendo que somos a juventude da classe trabalhadora, também cumprimos de todas as tarefas de limpeza, alimentação e gestão dos espaços, compreendendo que dentro da Universidade não temos empregados e somos responsáveis dentro do processo de auto-organização.

Por entender que a pauta nacional não está descolada do funcionamento cotidiano da UNEB, passamos por um processo de discussão de pautas internas que afetam a vida do corpo discente e também toda a comunidade acadêmica. Elencamos pautas como a finalização da climatização e fornecimento de internet wi-fi na biblioteca; a semana de integração do campus, com a colaboração dos dois departamentos; a participação estudantil no processo de gestão das cantinas; a estruturação de Salas de Estudos nos dois departamentos; o melhoria fornecimento de água potável no DTCS; a reforma da quadra; o diálogo com a secretaria de transportes do município a fim de proporcionar a melhor oferta de ônibus intermunicipal para o Campus e uma série de pautas elencadas e discutidas pelos estudantes de cada curso.

Negociamos com as direções de cada Departamento as pautas e após um longo processo de diálogo conseguimos alguns avanços que já estão em andamento e outras que serão iniciadas a partir do ano de 2017, dadas as dificuldades orçamentárias impostas pelo governo. Também compreendemos que muitas das pautas acimas já era encampadas pelas direções, mas pontuamos que a força social construída pelos estudantes acelera o atendimento dessas pautas que buscam a melhoria da nossa universidade. Sempre tivemos o intuito de construir e agregar novos atores e atrizes no processo de melhoria da UNEB e da educação pública no Brasil.

Hoje, após um processo de discussão intensa entre o movimento de ocupação, optamos por construir uma plenária com todos os setores da Universidade para apontar os novos métodos de luta. Ocupar e resistir nessa conjuntura de golpe e cortes sociais é mais do que legítimo, é necessário! Contudo, hoje desocupamos materialmente a nossa universidade, mas continuamos simbolicamente ocupados, usando o conceito da palavra como o “ato de trabalhar em algo, trabalho a ser executado”, continuaremos trabalhando e lutando contra a PEC 55 e todas as medidas que impeçam o acesso á educação por parte do povo brasileiro.

Agradecemos a todas e todos que contribuíram material e subjetivamente com a ocupação. Cada refeição doada, cada minuto disponibilizado para conversar com cada um de nós, cada manifestação a favor foi muito importante para garantir nossa continuidade. Continuaremos mobilizados e mobilizando a UNEB. Convocamos todas e todos na construção de um calendário de lutas permanentes em defesa da educação que abarque todos os setores da universidade em defesa dos nossos direitos. Além disso, a nossa desocupação material culmina na ida de estudantes do nosso campus á Brasília para o ato nacional marcado dia 29, durante a votação da PEC 55 no senado. Resistimos e resistiremos dentro e fora da Universidade do Estado da Bahia Campus III contra o processo de sucateamento da Educação e os cortes nos direitos do povo brasileiro“.

Deixe uma resposta