Exclusivo: Irmã da jovem que morreu ao passar por procedimento de lipoescultura em Petrolina, fala sobre o caso

Uilma Fontes Silva, faleceu no final da tarde desta terça-feira (10), no Hospital Imaculada Conceição em Petrolina-PE/Foto: Blog Didi Galvão

O repórter Marco Aurélio, da Rádio Jornal Petrolina, conseguiu falar com a irmã da jovem Uilma Almeida Fontes Silva, 37 anos, casada, mãe de três filhos, que se submeteu em um hospital particular de Petrolina a uma lipoescultura, cirurgia para a redução do volume de gordura corporal, em áreas localizadas,  mas houve complicações no procedimento e ela acabou falecendo.

De acordo com Iraneide Almeida dos Santos, que reside na Rua Manoel Gomes Gonzaga, 89, bairro Santa Rita, em Cabrobó-PE, Uilma, que era casada com um caminhoneiro, comunicou a família sobre a cirurgia, mas disse ter sido informada pela médica “Que era uma cirurgia simples, que não iria precisar de acompanhante, porque a anestesia seria local e quando terminasse ela poderia ir para casa”.

Iraneide informou que Uilma deu entrada ontem (10) mesmo no ‘Hospital Imaculada Conceição’. “A cirurgia dela estava prevista para às 16:00 horas, eu creio que ela tenha dado entrada por volta das 15:30”.

Após às 18:00 horas, Iraneide disse ter recebido uma ligação da Dra. Betânia, informando ter havido uma “complicaçãozinha na cirurgia, mas que ela estava sendo assistida por três médicos e que a gente não se preocupasse, mas que o caso dela era grave”.

“No início ela não queria falar o que era, queria alguém da família presente lá e eu pedi para informar o que é que estava acontecendo, porque nós marávamos há três horas de viagem de Petrolina e só iria ter transporte duas horas da manhã e ela tinha que informar como era que estava a gravidade do caso dela, para a gente providenciar um transporte para chegar até aí”, acrescentou.

Após entrar em contato com uma prima e uma irmã que residem em Petrolina e pedir para elas irem ao hospital urgente, Iraneide, sem informar aos pais do que estava acontecendo, locou um carro juntamente com outros parentes e ao passar por Santa Maria da Boa Vista, por volta das 20:00, é que foi informada pela Dra. Betânia que Uilma tinha sofrida uma parada cardíaca. “Então eu perguntei, então vocês não conseguiram trazer ela de volta, não foi? Ela respondeu que sim!”, relatou.

Iraneide contou ainda que a Dra. Betânia só disse o que realmente tinha acontecido por que ela apelou muito. “Eu entrei em desespero, fiz um apelo, pedi pelo amor de Deus para que ela falasse”.

Inconformada, Iraneide questionou o desencontro das informações passadas pela médica. Para ela Dra. Betânia teria dito que Uilma faleceu na UTI  do hospital, 40 minutos após a cirurgia, no momento em que estava sendo atendida por tês médicos. Para uma amiga da família que foi ao hospital, ela disse que quando a colocou de banda na maca para por a cinta, percebeu que ela já estava entrando em óbito. Já ao cunhado da vítima, a informação foi que ao passar mal, Uilma teria comunicado a médica que queria ir embora porque tinha deixado um lugar reservado no carro, sendo recomenda a ficar até três dias em Petrolina se recuperando na casa da irmã.

Em busca de respostas, os familiares da vítima (esposo e filho) procuraram a Delegacia de Polícia  para registrar um Boletim de Ocorrência.

Apesar da informação prestada pela médica, o laudo com a causa da morte só será divulgado em 60 dias, segundo informou o IML. O corpo de Uilma deve chegar a Cabrobó por volta das 19:00 horas desta quarta-feira (11), onde será velado no Centro de Velório e o sepultamento vai acontecer no antigo cemitério da cidade.

Deixe uma resposta