Exposição sobre trajetória do carnavalesco Mestre Jaime segue até final de fevereiro na Casa da Cultura

Mestre jaime

Os festejos de carnaval se encerraram na quarta-feira e cinzas, mas o registro em imagens da história de um dos patrimônios vivos da cultura pernambucana ligada à folia sertaneja,  permanece em evidência na Casa da Cultura, centro da cidade. A trajetória do artista plástico, boêmio e carnavalesco Jaime Alves Concerva, 94, o famoso Mestre Jaime, continua aberta ao público até o dia 29 de fevereiro, com a exposição Mestre Jaime: Do Cidadão ao folião. Quem Não teve tempo de passar por lá para conferir o acervo com diversas imagens inéditas, não deve perder.

A mostra funciona sempre de terça à sábado, das 8h às 19h na ala principal do espaço. A  exposição que tem o apoio da Secretaria de Cultura e Esportes, foi aberta antes do carnaval, e teve a concepção do colecionador de fotos antigas da cidade sobre personagens e fatos sociopolíticos e culturais, Cristiano Concerva, sobrinho do carnavalesco. Ao todo são 78 imagens, sendo que boa pertence ao acervo do colecionador e as mais recentes foram assinadas pelos fotógrafos Héliton Araújo, Tia Penha e Guga Pimentel.

Também há registros fotográficos feitos pelo jornalista Emanuel Andrade, que não atua profissionalmente na fotografia, só na reportagem, mas flagrou de uma digital comum, momentos raros do carnavalesco em cima de um trio elétrico participando do Galo da Madrugada, quando foi homenageado pelo governo do Estado/Fundarpe, há cinco anos.

Ainda na exposição o visitante pode conhecer o carnavalesco na intimidade do trabalho, na boemia, em família, e claro, no despojamento e euforia que são sua marca em meio a Bichara que há mais de 60 anos anima a folia sertaneja.

 “É uma exposição  histórica que contextualizada toda trajetória do Mestre Jaime que é nosso patrimônio e que as novas gerações precisam conhecer melhor. Faz parte da Cultura Popular de Pernambuco e do Nordeste”, ressalta Cristiano.

O secretário de Cultura Marcos Cleuber Pereira, reforça que a exposição mais do que uma homenagem é uma forma de manter em evidência o valor do Mestre Jaime para a cultura e para história do carnaval em Salgueiro. Ele aponta que é importante que as escolas levem seus alunos para conhecer a exposição que de certa forma retrata historicamente o carnaval de Salgueiro há mais de meio século.

Deixe uma resposta