Inicia hoje (15) seminário que discute gênero e sexualidade no IF Sertão-PE

Entrada do IF Sertão-PE (Foto: Amanda Franco/G1)

Entrada do IF Sertão-PE (Foto: Amanda Franco/G1)

Nesta quarta-feira (15) e quinta (16), será realizado o II Seminário de Gênero e Sexualidade: Diálogos Possíveis no campus Petrolina do Instituto Federal do Sertão pernambuco (IF Sertão-PE). O evento irá promover uma programação extensa com exibição de documentários, rodas de conversa, apresentações culturais e intervenções artísticas. A entrada é gratuita.

Aqueles que estudam o IF Sertão-PE não necessitam de inscrição. Para o público externo serão disponibilizadas 30 vagas. De acordo com a programação, na quarta-feira (15) às 19h haverá uma apresentação Cultural Grupo Carcará no Auditório Central do IF Sertão.  Já às 19h30 às 21h, acontece a abertura com uma exposição temática sobre ‘Igualdade de gênero: Feminismo contemporâneo e a cultura do estupro’ com a mestranda em Antropologia da UFPE e graduada em Ciências Sociais da Univasf, Tainã Aynoã Barros.

Já na manhã da quinta-feira (16) haverá oficina que aborda ‘Violência Contra a Mulher nos Espaços de Ensino’ no auditório central e uma Intervenção Artística Inversão de Papéis Estudantes do 4o ano de Informática com a professora Itamara Meneses no pátio da cantina. Está previsto ainda uma roda de conversa no auditório de Química sobre Sexualidade na Adolescência com a enfermeira, Cristiane Almeida.

Também será realizada pela manhã no auditório central uma exposição temática que abrange o tema: ‘Saúde e relações de gênero: uma reflexão sobre a politica nacional de saúde do homem no Brasil’ com o psicólogo e especialista em Gestão da Clínica, Maxwell Santos O. Costa.

À tarde, a programação do seminário segue com uma intervenção artística sobre inversão de papéis dos Estudantes do 4o ano de Química e uma Roda de conversa que discute Transexualidade no meio acadêmico e Direito ao Nome Social com a professora Itamara Meneses Micaela. será promovido ainda uma oficina sobre a imagem da mulher na mídia e uma roda de conversa sobre homofobia nas escolas com o mestre em educação, Antônio Carvalho.

Com informações de G1

Deixe uma resposta