Júlio César explica por que trocou o Náutico pelo Santa Cruz e minimiza reencontro

(Foto: Internet)

Dia 29 de janeiro será marcado por uma cena incomum nos Clássicos das Emoções. Náutico e Santa Cruz vão se enfrentar na Arena de Pernambuco, pelo Campeonato Pernambucano, com goleiros que construíram trajetórias sólidas no rival.

Após dois anos e meio no Timbu, Júlio César vestirá a camisa coral, enquanto Tiago Cardoso (há seis temporadas no Arruda) estará do lado alvirrubro. Júlio minimiza este primeiro reencontro com o ex-clube.

Assegura foco no time coral, que o ofereceu um convite que se tornou irrecusável devido a um conjunto de três fatores listados pelo próprio atleta: a “grandeza” do clube, o projeto apresentado pela direção e a chance da permanência dele no Recife, onde está bem adaptado.

Jogar contra o Náutico no fim do mês, no entanto, será estranho para o goleiro. Mas ele minimiza o reencontro. “Até hoje, nunca joguei contra um ex-clube. Depois que saí do Corinthians, nunca joguei contra o Corinthians. Além disso, vai ter uma coisa muito maior que é o Santa Cruz.

Não posso pensar no Júlio César querendo vencer. O nosso objetivo no ano é muito maior que a estreia contra o Náutico. Claro que a gente vai passar por esse processo e vai ser uma coisa curiosa e diferente.”

Liderança

Mal chegou ao Santa Cruz e Júlio César já tem sido uma das principais referência do time durante a pré-temporada, em Olinda. Torcedores já gritaram o nome do goleiro das arquibancadas e, não raramente, pedem para tirar fotos com ele.

O jogador ressalta o peso da liderança que deve exercer perante ao elenco e à torcida. “Eu sei do tamanho da responsabilidade. Nenhum jogador aqui está vindo aqui para passear. Agradeço muito o carinho, mas o torcedor vai querer resultado.

Por tudo que passei no futebol, esse carinho está sendo muito bom para mim e levo como um combustível a mais. Espero que a gente possa sempre trazer o torcedor para perto da gente.”

Fonte Superesporte

Deixe uma resposta