Jungmann diz que prisão de Sérgio Cabral faz parte do “jogo democrático”

Raul-Jungmann

O ex-governador Sérgio Cabral foi preso ontem (16) na Operação Calicute, nova fase da Lava Jato (Foto: arquivo)

Ao comentar hoje (17) sobre a prisão do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, na nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que o Brasil está dando um exemplo para o mundo de independência dos seus poderes, “Isso é parte do jogo democrático e só atesta a solidez e a rigidez das nossas instituições”, afirmou, após participar da solenidade de assinatura de acordo para criação de programa habitacional específico para os militares.

Questionado se acredita que a prisão de Cabral pode afetar o governo Temer, já que é do mesmo partido do presidente, Jungmann negou. “Eu acho que isso de afetar (o governo), o que pode afetar seria, efetivamente, no caso de serem fundadas as acusações, é a má política. E aí eu espero que ela continue sendo bastante afetada, porque nós precisamos passar a política brasileira a limpo. Falo aqui como parlamentar. Isso é urgente, o Brasil pede e exige isso, e acho que estamos caminhando bem nesse sentido”, disse o ministro.

O ex-governador Sérgio Cabral foi preso ontem (16) na Operação Calicute, nova fase da Lava Jato, em ação conjunta com o Ministério Público Federal e a Receita Federal do Brasil, que investiga o desvio de recursos públicos federais em obras do governo do Rio.

Deixe uma resposta