Líder do governo no Senado afirma que Planalto dá aval para recriar dois ministérios

(Foto: Ascom)

O relator da Medida Provisória 870, que altera a estrutura administrativa, e líder do governo no Senado Federal, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), confirmou nesta terça-feira (7) que o governo cedeu e concordou com o desmembramento do Ministério do Desenvolvimento Regional em dois, Cidades e Integração.

Ao deixar uma reunião com o ministro Paulo Guedes (Economia), FBC confirmou que o tema foi debatido na manhã de hoje com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil). “Ficou decidido que o ministério do Desenvolvimento Regional vai ser desmembrado e vai ser recriado o ministério das Cidades e o ministério da Integração Nacional”, afirmou.

A volta dos ministérios faz parte da negociação do relator com parlamentares da comissão especial para que a MP da reforma administrativa seja aprovada. A MP,que reduziu de 29 para 22 o número de ministérios na Esplanada, perde validade no início de junho. Após ser aprovada no colegiado, ainda precisará passar por votações nos plenários da Câmara e do Senado.

Historicamente, a pasta das Cidades foi comandada pelo PP, o maior partido do bloco, e a da Integração Nacional teve como ministros, em sua maioria, políticos da região Nordeste. Bezerra, inclusive, comandou a pasta no início do governo de Dilma Rousseff, entre 2011 e 2013.

Ao mesmo tempo, o relator pretende que seja aprovada a autonomia do Banco Central, o que faria o órgão perder status ministerial. Com isso, o governo manteria um total de 22 pastas e cargos com status ministerial. “Estaremos também aprovando como prioridade da pauta na Câmara dos Deputados a autonomia do Banco Central. Aí mantém”, disse.

Fernando Bezerra Coelho apresentará o relatório da medida provisória 870 nesta terça-feira. A recriação de outros ministérios como Segurança Pública, Cultura e Trabalho, que eram demandas de alguns parlamentares, não entrará no parecer.

Com informações do Estadão e Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta