Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

LOA e PPA são aprovadas por unanimidade, sem discussão na Câmara de Vereadores de Petrolina

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Os dois projetos encaminhados pelo Poder Executivo na sessão dessa terça-feira (4) foram aprovados por 22 votos a zero, porém sem discussão das emendas propostas pelos vereadores de Petrolina. Os PLs nº 066/2018 e 067/2018 estimam receita e ficam despesa ao município na Lei Orçamentária (LOA) de 2019 e a revisão do Plano Plurianual (PPA) do próximo ano.

As duas matérias foram lidas e colocadas em votação em 1º e 2º turno, sem discussão no Plenário da Casa Plínio Amorim. No entanto, apesar da votação aparentemente tranquila, a oposição questionou a forma como a Mesa Diretora conduziu o processo, excluindo o debate em torno das emendas da oposição que foram rejeitadas pela comissão.

Celeuma foi parar no MPPE

22 emendas propostas por Domingos de Cristália (PSL), Gilmar Santos (PT) e Cristina Costa (PT) foram excluídos pelo presidente da Comissão de Redação e Justiça, Ronaldo Silva (PSDB), porém os edis questionaram que a rejeição deveria ser debatida em plenário.

Cristina se encontrou com promotor Carlan (Foto: Ascom)

Descontente com a postura da Mesa em não deixar espaço para defesa dos seus pedidos, Costa deixou o Plenário e foi ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) denunciar o fato. Após a celeuma, Ronaldo Silva está na Tribuna Livre justificando cada veto aprovado na comissão.

No MPPE a vereadora questionou especificamente a rejeição da emenda de sua autoria que previa apenas 20% do orçamento municipal sem consulta da Câmara e não 40%, como propôs o prefeito.

“[Fui] conversar com o promotor de justiça Carlos Carlan sobre a condução da sessão ordinária do dia 04 de dezembro durante a votação da Loa quando o presidente Osório Siqueira dispensou a discussão das emendas à lei de orçamento anual”, disse a edil.

Deixe uma resposta