Museu de Sento Sé já está aberto com Plano Museológico

O espaço será utilizado como referência de história, cultura, aprendizado e memória. (Foto: ASCOM)

O Museu de Sento Sé, localizado na rua Theodulo Albuquerque, 44, no centro de Sento Sé (BA), está aberto com Plano Museológico para visitação graças à política pública do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) da Secretaria de Cultura (SecultBA) e recursos do Fundo de Cultura.

A proponente do projeto inscrito nos Editais de Museus/IPAC, Maria do Socorro Reis Miranda (Tia Soca), coleciona centenas de objetos de famílias do município.

“Além do Plano Museológico, que cria e estabelece etapas de funcionamento de um espaço museal, fizemos o arrolamento tipológico (levantamento) do grande acervo”, afirma a museóloga e consultora, Simone Trindade, contratada do projeto. Segundo ela, a próxima etapa será a proponente providenciar a criação de um Conselho Curador para institucionalizar o museu.

“Também fizemos painéis com dados, desde a época indígena, passando pela colonização portuguesa, o contexto arqueológico da região, até os dias atuais”, diz Simone.

Ela explica que foi criada exposição itinerante como ação educativa para escolas, para dar conhecimento público do museu e estimular os professores e estudantes a frequentar o local. A casa de Tia Soca, onde está o museu, detém 250m² de área. Antes conhecido como ‘Acervo Cultural Né Balaio’ o conjunto reúne mais de mil objetos.

O espaço será utilizado como referência de história, cultura, aprendizado e memória. “Para perpetuar é fundamental que a coleção fosse musealizada, institucionalizada, tornando-se um espaço profissional”, completa a proponente Tia Soca.

Política Cultural para Museus

Para a museóloga e coordenadora de Editais do IPAC, Ana Coelho, o Museu de Sento Sé é mais um exemplo de como as ações de fomento do Fundo de Cultura estimulam e apoiam a política pública museológica na Bahia à cargo do IPAC.

“A proponente Socorro Reis teve oportunidade de saber do Museu de Remanso, igualmente apoiado pelos Editais IPAC/SECULT, o que demonstrou para ela que concretizar um em Sento Sé também seria possível”, comenta a coordenadora estadual.

Os editais possibilitam a contribuição de profissionais e especialistas das áreas de restauro, arquitetura, educação patrimonial e museologia na política pública de fomento à cultura. O IPAC administra os editais de museus, patrimônio cultural, arquitetura, urbanismo e restauro.

Com a temática-título de ‘Um Rio de Memórias’, o museu mostra como as pessoas viviam na antiga Sento Sé. Objetos arqueológicos indígenas, itens de couro, utensílios de mesa e cozinha, como bules, canecas e até porcelanas de várias partes do mundo, são alguns deles. Modos de vida, matérias primas, relações comerciais, fauna e flora regionais, tradições culinárias, crenças religiosas, também estão presentes. O projeto inscrito nos Editais do IPAC oferece ainda curso de capacitação para professores, com material didático e folder do museu.

Século XIX

Localizada no norte da Bahia, a cidade foi fundada na primeira metade do século XIX, em 1832. Na década de 1970, a cidade foi inundada com a construção da Barragem de Sobradinho. A atual está às margens do Rio Francisco.

Como outras cidades que submergiram nesse processo de desterritorialização, seus antigos habitantes sofreram um profundo impacto psicológico.  Para a nova cidade, planejada e construída pelo governo federal, distante 62 km do antigo local, foram transpostos os moradores da velha sede a partir de 1976.

Deixe uma resposta