Odontologista da UPAE/IMIP de Petrolina alerta: “prevenir ainda é o melhor tratamento para saúde bucal”

saude-bucal

Em outubro, além do Dia do Dentista, comemora-se no Brasil o Dia da Saúde Bucal. De acordo com dados do Ministério da Saúde, houve uma melhora com relação à saúde odontológica do brasileiro nos últimos anos, entretanto, a realidade ainda é alarmante. Pesquisas apontam que bebês, de 18 a 36 meses, já têm em média um dente cariado e que o problema também afeta de 60 a 90% das crianças em fase escolar. Com relação aos idosos, existem 3 milhões de pessoas (entre 65 e 74 anos) precisando de prótese total ou em pelo menos um dos maxilares.

Os estudos também afirmam que para melhorar este cenário, o caminho é trabalhar a prevenção, sendo esta a escolha mais barata e eficaz. Nesse sentido e com o objetivo de orientar a população de Petrolina e região, a odontologista da Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina, Drª. Karicia Falcão, preparou uma série de dicas, que vão desde a orientação sobre escovação até informações sobre o que fazer em caso de perda de dente por trauma.

De acordo com a profissional, o cuidado com a saúde bucal deve iniciar desde o nascimento do bebê. “Devemos começar higienizando a boca do bebê após as mamadas. Isso deve ser feito com uma gaze ou fralda molhada em água filtrada ou soro fisiológico, limpando bochechas, gengiva e língua. Logo que nasce o primeiro dentinho, a gaze ou fralda deve ser substituída por uma dedeira. Em seguida, a escova infantil já é recomendada, assim como o uso do fio dental. Deve ser utilizado um creme dental com flúor em uma quantidade menor do que um grão de arroz cru”, explica. É importante lembrar que a primeira consulta com o dentista deve acontecer antes do primeiro ano de vida da criança, e a visita deve ser repetida de 6 em 6 meses.

De forma geral, os hábitos adquiridos na infância devem permanecer ao longo da vida. Em todas as fases, uma boa saúde bucal pode ser mantida com a escovação feita diariamente após as refeições, com movimentos circulares ou de varredura, atingindo todas as faces do dente. Além disso, a escova deve ter cabo reto, cabeça pequena, cerdas macias e arredondadas, devendo ser trocada a cada 90 dias, independentemente do seu estado de conservação; no processo de escovação a língua não deve ser esquecida; fio dental e enxaguante bucal são importantes aliados. Manter uma alimentação saudável, evitar o consumo excessivo de alimentos com açúcar refinado, evitar o uso de bebidas alcoólicas e de fumo também contribuem.

Sobre os problemas bucais mais comuns que chegam à urgência e emergência odontológica da UPAE, a dentista destaca a pulpite (quando a cárie atinge o nervo do dente ocasionando dor), abscesso dentário, gengivite, hemorragia após extração sem sutura e perda de dente por trauma. “Para evitar a maioria desses problemas que levam as pessoas à urgência e emergência é só trabalhar a prevenção. Nesse aspecto, as campanhas sobre o tema são muito importantes, pois orientam a população”, ressalta Drª. Karicia.

Em casos que fogem ao comum, como a perda de dente por trauma, a dentista orienta que o paciente deve procurar de imediato o serviço de saúde de referência. “Algumas vezes conseguimos fazer o reimplante com sucesso. Para isso, é preciso que a pessoa chegue a tempo e mantenha o dente avulsionado armazenado na própria saliva, leite ou soro fisiológico”, esclarece. Para finalizar, a dentista ratifica que “a falta de higiene e de cuidados essenciais com a limpeza dos dentes e de toda a cavidade bucal é a principal responsável por doenças que vão desde uma simples cárie até o câncer”.

Deixe uma resposta