Pai defende filho que matou três pessoas em acidente de trânsito no Recife

(Foto: Reprodução)

O empresário Bruno de Oliveira Gomes Leal, de 51 anos, pai de Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, falou pela primeira vez sobre o filho, que foi autuado em flagrante por homicídio doloso, após colisão no bairro da Tamarineira, no Recife, no último domingo (26).

Em entrevista ao Portal FolhaPE, Bruno de Oliveira defendeu o filho e garantiu que Victor deve pagar pelo acidente que provocou, mas afirmou que rapaz não merece ser crucificado pela sociedade. O empresário afirmou que o filho está arrependido e que precisa voltar a tomar medicamentos controlados.

“Quando soube o que aconteceu ele pediu desculpa e chorou muito pelo acidente, pelas vítimas. O advogado que já falou com ele esses dias disse que ele chora muito. Deu uma bíblia pra ele pra se pegar com Deus, que é com quem a gente tem que se pegar mesmo. Vou com o advogado levar para ele colchão e medicação. É Rivotril, que ele tem que tomar todo dia”, afirmou Bruno.

Sobre o acidente de trânsito o pai reconhece o erro cometido por Victor, mas pede cautela nos julgamentos, diante da conduta do filho. “Na minha cabeça foi um acidente. Estou muito triste com o que aconteceu. Ele tem que pagar, que ele pague. Mas como todos os outros ele também merece a cobertura da lei, proteção. Todo mundo quer crucificar meu filho, mas ninguém está olhando para o próprio umbigo. Pra mim foi um acidente com vítimas fatais. Ele vai responder por isso. Mas ele não sabia o que ia acontecer. Ninguém tem noção disso. Mas tem muita coisa que, com o tempo, vai ser esclarecida, se Deus quiser”, explicou.

Em relação as diversas multas do carro, ele foi direto. “As multas são minhas. E eu não sou a único que já ultrapassou um sinal vermelho ou falou no telefone dirigindo”, afirmou.

Um Comentário

Deixe uma resposta