Parceria para cultivo de mudas vai revitalizar o meio ambiente em Pernambuco  

 

aldo

Atenta à questão ambiental a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), lançou o Projeto Florestar. Trata-se da recuperação e instalação de viveiros para a produção de mudas dos biomas Mata Atlântica e Caatinga que atenderão projetos desenvolvidos pela companhia. O projeto foi lançado nesta terça-feira (29), em Bonito, Agreste do estado.

Neste primeiro momento, o Projeto Florestar prevê a requalificação dos viveiros de Bonito, Pirapama e Poção, incluindo a reformulação no processo de gestão, atividades educacionais e trilhas ecológicas. Inicialmente, a produção de mudas atenderá as demandas dos projetos de Compensação e Reposição Florestal do Sistema Adutor do Agreste, Adutora Porto de Galinhas e Estação de Tratamento de Esgoto de Caraibeiras.

Para facilitar esse trabalho, a Compesa realiza o projeto em parceria com associações de produtores rurais e com as prefeituras dos municípios envolvidos, que contribuem no processo de gestão participativa. Estão previstos recursos na ordem de R$ 1,6 milhão para as primeiras ações com produção anual de aproximadamente 250 mil mudas.

Segundo o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, José Aldo dos Santos, as prefeituras se comprometeram em apoiar ações necessárias à requalificação dos espaços dos viveiros, como a melhoria nas vias de acesso, iluminação e sinalização. Em contrapartida, elas serão beneficiadas com doação de mudas para projetos de reflorestamento urbano, reposição da Mata Ciliar e de Áreas de Preservação Permanente.

 “A recomposição florestal faz parte do compromisso da Compesa de planejar e executar obras hídricas resguardando o equilíbrio e a sustentabilidade ambiental”, pontuou o diretor.

Deixe uma resposta