Pernambuco: fornecimento de medicamentos só deve ser normalizado em três meses

(Foto: Internet)

Os problemas enfrentados pelos pacientes da rede estadual de saúde em Pernambuco somente devem ter uma solução daqui a três meses. Isso porque a Farmácia do Estado, que hoje está com taxa de desabastecimento em 60% deve normalizar seu estoque em 90 dias.

O compromisso foi estabelecido na segunda-feira (29), por representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES), durante audiência realizada no Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça em Defesa da Saúde, no Recife.

“Já em maio, iniciaremos um abastecimento mais efetivo. Aproveitamos a audiência para pedir apoio também junto ao Ministério Público Federal. Hoje são 37 medicamentos deveriam ter sido fornecidos pelo Ministério da Saúde, mas não foram. Nessa lista, há medicações para câncer, artrite psoriática e esclerose múltipla. Então, isso também gera a desassistência”, disse o diretor-geral de Assistência Farmacêutica de Pernambuco, Mário Moreira.

Uma das ações para resolver o déficit é criar uma força-tarefa. “Todo o trabalho vai envolver um processo de transparência e possibilitará que as pessoas tenham informações sobre a medicação (se está disponível ou não nas unidades, por exemplo) sem sair de casa. Ainda em maio, queremos restabelecer mais parte dos itens (que hoje estão em falta)”, afirmou.

Hoje existem 32 unidades da Farmácia do Estado, mas dos 231 medicamentos listados, 139 estão em falta, incluindo remédios para manter sob controle doenças crônicas e neurológicas, transtornos mentais e patologias autoimune.

(Com informações do JC Online).

Deixe uma resposta