PM e PRF celebram São João tranquilo em Petrolina

BIEsp e PRF fizeram ação conjunta durante o São João de Petrolina (Foto: Divulgação/2º BIEsp)

Na avaliação das forças de segurança de Petrolina, o São João no Pátio Ana das Carrancas foi marcado pela tranquilidade. Nesse ano, durante as nove noites de festa a Polícia Militar de Pernambuco (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não registraram ocorrências graves.

De acordo com o tenente-coronel André Luiz, do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp), o balanço é extremamente positivo. “Saiu a contento para o porte do São João que nós temos no Pátio de Petrolina, com um público médio de 50 mil pessoas e em alguns dias inclusive tivemos que fechar os portões, por conta da limitação de espaço. Acredito que tivemos um evento bem tranquilo“, disse em entrevista ao programa Super Manhã com Waldiney Passos dessa terça-feira (25), na Rádio Jornal Petrolina.

Fechamento dos portões

Para o tenente-coronel, o fechamento dos portões é uma atitude que visava preservar a segurança do público. “A primeira intenção é garantir a segurança para os que já estão dentro do Pátio. Assim que a lotação chegasse ao máximo possível, os portões seriam fechados. É uma postura que visa a segurança dos que já estão no evento“, comentou.

Ocorrências no trânsito aumentam, mas balanço também é salutar

O inspetor Paulo Lima, da PRF também participou da entrevista e comemorou os números no trânsito. “Os resultados da Operação São João foram muito satisfatórios, a gente conseguiu nesses nove dias de atividade desenvolver um trabalho importante que é impedir os acidentes graves. Tivemos a participação do BIEsp na Ponte Presidente Dutra”, destacou.

Apesar de o número de ocorrências de alcoolemia terem aumentado, o inspetor reafirmou que os dados das nove noites foram melhores que no ano passado.

“86 pessoas foram flagradas dirigindo o veículo sob influência de álcool, elas responderão processo e terão seu direito de dirigir em até 12 meses. É um número alto, em 2018 foram flagradas 66 pessoas. Reconheço que foi um trabalho tranquilo, com esse número alto só identificamos um acidente com vítima“, concluiu.

Deixe uma resposta