Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Prefeitura de Dormentes realiza encontro entre agricultores e IPA

(Foto: Ascom)

O salão principal do Sindicato dos Trabalhadores Rurais em Dormentes (PE) ficou lotado para a reunião com a diretoria do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). A deputada estadual, Dulcicleide Amorim (PT) e o gerente de negócios do Banco do Nordeste, Fábio Cipriano também participaram do encontro.

Produtores e agricultores de todo o município foram convidados pela prefeita Josimara Cavalcanti (PTB) para uma conversa com o novo presidente do IPA, Odacy Amorim. “Fiquei muito feliz com a indicação de Odacy para essa instituição que é tão importante para gente. Semana passada estive em Recife onde conversamos sobre as necessidades dos agricultores do município e fui muito bem recepcionada. Sai de lá com boas notícias e fiz questão de marcar esse encontro aqui no sindicato, junto aos trabalhadores para eles saberem das coisas boas que estão vindo para gente”, explicou a prefeita. 

Durante a reunião o presidente do IPA anunciou, entre outras ações, o financiamento de kits para irrigação de poços para implantação de unidades de cultivo de palma. “É um projeto novo, onde o agricultor vai pegar o dinheiro junto ao Banco do Nordeste e se estruturar para o plantio da palma. Tivemos uma reunião com a superintendência do Banco, no Recife e priorizamos Dormentes para começar este programa. A ideia é criar um formato novo de produção de alimentos para poder assim multiplicar a quantidade de animais no município”, informou Odacy.

Além das novidades, os agricultores também puderam conversar com as autoridades presentes e cobrar mais estrutura no campo, como a disponibilização de mais técnicos agrícolas para acompanhar os produtores. Lucivaldo Coelho é produtor, e ficou feliz com o encontro. “Poder conversar com o pessoal do IPA, do Banco do Nordeste é de grande importância pra nós. Fiquei alegre em saber dos investimentos em projetos que precisem de menos água, porque nossa região é de pouca chuva e precisamos aprender a conviver com ela”, completou.

Deixe uma resposta