Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

PRF registra acidentes nas rodovias ferais de Pernambuco durante feriado de Natal

(Foto: Divulgação/PRF)

Sete pessoas morreram em acidentes nas rodovias federais de Pernambuco durante o feriado do Natal. O número é da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que divulgou, na manhã desta quarta-feira (26), um balanço da “Operação Rodovida”. Entre os dias 21 e 25 de dezembro, ocorreram 103 acidentes, que deixaram 52 pessoas feridas. No ano passado, quando o feriado teve um dia a menos, foram 90 acidentes, 55 feridos e seis mortes.

De acordo com a PRF, a média de acidentes por dia de feriado em 2018 foi inferior em relação ao ano passado. As colisões mais graves ocorreram na sexta-feira (21) e no domingo (23). Na sexta, uma ambulância que trafegava pela BR-232, em Moreno (PE), colidiu com dois carros. Três pessoas morreram e três ficaram feridas no acidente. Já no domingo, um condutor sob efeito de álcool atropelou dois ciclistas, na BR-428. Os dois faleceram na hora e o motorista foi encaminhado para a delegacia.

A PRF fiscalizou 4.478 pessoas e 3.194 veículos, que resultou na emissão de 2.411 multas por infrações como ultrapassagem em local proibido (154); não uso do cinto de segurança (189); falta de cadeirinha (30) e condução de motocicleta sem capacete (22). A PRF ainda realizou o teste do bafômetro em 2.325 condutores. Foram emitidas 87 autuações, sendo 28 por constatação e 59 por recusa de fazer o teste. Seis motoristas foram presos por terem ingerido bebida alcoólica.

Irregularidades

Durante o período, 133 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) foram recolhidos, além de 91 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs). Foram registradas 61.08 toneladas de excesso de peso em veículos de transporte de cargas. A PRF prendeu, ainda, 15 pessoas por diversos crimes, tais como tráfico de drogas, assalto, embriaguez ao volante e crimes ambientais

Com informações do Jornal do Commercio

Deixe uma resposta