PSOL de Petrolina lança pré-candidatos às eleições de 2018, entre eles Lucinha Mota

O PSOL de Petrolina anunciou seus pré-candidatos a deputado estadual e federal na noite desse domingo (20), em um ato com casa cheia, no Neumann Hotel, região central. Aliado a nível estadual e nacional com o PCB, os socialistas lançaram dois nomes à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e dois à Câmara dos Deputados, mas os olhares se voltaram para Lucinha Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, morta durante uma solenidade no Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, há quase três anos.

Lucinha revelou ao Blog que a iniciativa de ser pré-candidata a deputada estadual partiu dela, que procurou o PSOL após uma pesquisa entre os partidos no estado. Durante sua fala no lançamento das pré-candidaturas ela comentou sobre a caminhada até sua entrada na política.

“A partir daquele dia [que foi à Delegacia depor sobre a morte de Beatriz] eu entendi que para se resolver o caso de Beatriz e para se resolver todos os casos de violência dentro do estado  Pernambuco, precisa-se de políticos. No início alguns repórteres da região me perguntaram se eu teria intenções políticas e eu deixei isso bem claro: a partir do momento em que eu não me sentisse representada politicamente, eu seria uma opção e a partir de hoje eu direi, eu sou uma opção para Pernambuco”, afirmou emocionada ao relembrar da sua filha.

Escolhidos do PSOL

Outro nome colocado, dessa vez a federal foi o de Mariozinho Ribeiro, líder comunitário do bairro Antônio Cassimiro I. “A gente acredita que agora é a hora do PSOL porque as pessoas estão cansadas desses políticos envolvidos na Lava Jato e é hora de mudar”, disse ao Blog Waldiney Passos.

Rosalvo Antônio é pré-candidato como federal e reafirmou o compromisso do PSOL nas eleições. “A gente não pode vacilar, temos que estar em todos os recantos, no estado, no Brasil para que a gente possa de fato trilhar em outro projeto que torne a sociedade sem desigualdades”, afirmou.

O quarto nome escolhido pelo PSOL em Petrolina é o de Edvaldo Landim, representante do Conselho Municipal de Saúde, que assim como Lucinha colocou seu nome para uma vaga na Alepe. Em Pernambuco, a aliança com o PCB resultou em uma chapa majoritária formada por mulheres, na disputa ao Governo do Estado e Senado Federal.

Deixe uma resposta