Reitor da Univasf vê com preocupação atual momento do país: “Temos um descompasso com relação às atividades que vinham sendo executadas e que possibilitaram à Univasf transformar indicadores em nossa região”

Sobre o novo momento político e econômico pelo qual passa o país, o reitor faz uma avaliação de como tudo isso pode interferir no dia a dia da Universidade/Foto: Blog WP

Sobre o novo momento político e econômico pelo qual passa o país, o reitor faz uma avaliação de como tudo isso pode interferir no dia a dia da Universidade/Foto: Blog WP

O reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco, Julianeli Tolentino, esteve há pouco visitando a sede do nosso Blog. Em uma conversa de aproximadamente uma hora, conversamos sobre assuntos como desafios na gestão de uma das mais importantes instituições de ensino do Nordeste e do país, perspectivas para o futuro, Hospital Universitário, dentre outras demandas. Julianeli deu boas notícias à nossa equipe, como a retomada das obras da policlínica, na área central da cidade, o que futuramente deverá ajudar na diminuição das demandas do HU em questões mais básicas e ambulatoriais. O reitor falou da Câmara Estudantil; da construção de uma Universidade que rompe os limites de seus muros e vai até às comunidades.

Sobre o novo momento político e econômico pelo qual passa o país, Julianeli faz uma avaliação de como tudo isso pode interferir no dia a dia da Universidade. “Tivemos um período de grandes ganhos no ensino superior do país, sobretudo no interior. A Univasf foi um desafio porque iria abranger três unidades da Federação e isso pedia um aporte financeiro elevado. No entanto, a partir de 2014 começamos a sentir reflexos da turbulência econômica no mundo e no Brasil. E no ano passado isso se acentuou e tem impactado sim, a nossa Universidade. Fomos obrigados a fazer alguns cortes de serviços terceirizados. Essa instabilidade político-econômica que vivenciamos hoje, tem prejudicado muito. Vejo um futuro nebuloso. Além das restrições normais, temos um descompasso com relação às atividades que vinham sendo executadas e que contribuíam para que a Univasf,através destas ações, transformasse os indicadores sociais de nossa região. Temos que torcer para que este governo dê certo. Queremos diálogo”, destaca.

Nesta quarta (25), acompanhe em nosso Blog os detalhes da entrevista.

 

Deixe uma resposta