Reunião do CMDRS discute projetos que beneficiam comunidades rurais de Juazeiro

whatsapp-image-2016-10-26-at-13-02-47Foi realizada na manhã desta quarta-feira (26), na Casa dos Conselhos em Juazeiro, mais uma reunião ordinária do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS). Na ocasião foi apresentado pelo representante da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Teófilo Neto de Santana um projeto sobre Produção Sustentável de Forragens Irrigadas para o Sertão do São Francisco.

Segundo ele, inicialmente serão implantadas em seis municípios da região, unidades de forragem, com culturas variadas, em pequenas áreas irrigadas.

“O objetivo do projeto é complementar a alimentação animal, ajudando os pequenos produtores da região. Iremos aproveitar os pontos de água já existentes e proporcionar uma variedade de forragens, como o sorgo, leucena, milho, palma forrageira dentre outros. Queremos uma participação mais ativa da prefeitura e discutir com o Conselho o local a ser implantado, a estratégia e a dinâmica do projeto”, explicou Teófilo.

O conselheiro e presidente da Associação dos Fruticultores do Perímetro Irrigado de Curaçá (AFRUPEC), Josival Barbosa, falou sobre a construção do Centro de Excelência de Educação Profissional e Assistência Técnica Rural que será iniciada ainda esse mês, no Distrito Industrial de Juazeiro.

“O Centro é uma realização do SENAR e conta a parceria de diversas instituições e da prefeitura de Juazeiro. O objetivo será capacitar o produtor na área da fruticultura, assistência técnica e extensão rural”, explicou Josival.

O técnico da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), Carlos Roberto Ribeiro passou para os membros do CMDRS dados sobre o programa Garantia Safra.

“Estamos esperando a autorização do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para realizar a homologação dos agricultores inscritos para a safra 2016/2017, um total de 3.028 agricultores. Vale destacar, que o Tribunal de Contas da União (TCU) bloqueou mais de 800 agricultores que não estavam condizentes com os critérios exigidos pelo programa. Vamos aguardar e em seguida daremos andamento às etapas do programa”, informou Roberto.

Também estiveram presentes na reunião representantes do Banco do Nordeste, Fundação Sopão, Movimento dos Sem Terra (MST), Associação dos Produtores de Cacimba do Silva, IRPAA e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeiro (STRJ).

Com informações da ASCOM

Deixe uma resposta