São João de Petrolina ainda não tem local definido; Miguel Coelho afirma ter plano B

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Por meio de uma ação civil pública ajuizada na 17ª Vara Federal de Petrolina (PE), o Ministério Público Federal (MPF) pediu a suspensão do São joão de Petrolina deste ano. De acordo com o Ministério Público, caso a justiça não acate o pedido principal, o MPF vai requerer que só haja eventos no local após estudo conclusivo do comando da Aeronáutica, analisando todos os problemas ocorridos nos últimos sete anos, a exemplo do comprometimento da visibilidade de pilotos de aeronaves que sobrevoam a área do Pátio Ana das Carrancas.

Em 2018, o MPF já havia recomendado a Prefeitura de Petrolina que fossem adotadas providências referentes a realização de eventos no Pátio Ana das Carrancas. Segundo o órgão, o município não estava seguindo as medidas de segurança aéreas durante os eventos realizados no local.

Na próxima segunda-feira (6), será realizada uma audiência de conciliação entre representantes da Prefeitura de Petrolina (PE), o Ministério Público Federal e o Juiz Federal responsável pelo caso, Arthur Napoleão Teixeira Filho, na tentativa de resolver a questão.

Durante o lançamento oficial do São João de Petrolina, realizado na última segunda-feira (29), o prefeito Miguel Coelho falou sobre o diálogo com o MPF e demais instituições, a fim de garantir a permanência do evento no Pátio Ana das Carrancas, mas sinalizou a construção de um “plano B”.

“Até o momento a festa continua no pátio, nós estamos negociando, estamos conversando com o Ministério Público Federal, com a Infraero, com a Aeronáutica, com todas as partes envolvidas para poder achar o melhor entendimento. A gente admite mudar o palco de lado, colocar em vertical, horizontal, do jeito que for, pra poder permanecer no Pátio Ana das Carrancas. Se isso não for possível, nós já estamos trabalhando uma outra alternativa”, disse o gestor.

Em nota enviada ao Blog Waldiney Passos, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Petrolina informou que ainda não recebeu a notificação oficial para a participação na audiência, mas disse que sempre procurou o diálogo entre todas as instituições envolvidas (Aeronáutica, Infraero e Ministério Público Federal) no processo de liberação do Pátio de Eventos Ana das Carrancas. Ainda segundo a SEDETUR, “ano passado, a prefeitura cumpriu todas as recomendações do TAC para a realização do evento no referido local.”

Com informações do G1

Um Comentário

  • souza

    2 de Maio de 2019 at 14:43

    Nosso prefeito se mostra imprudente quando questiona uma solicitação de segurança que pode salvar vidas da população! para segurança não existe hierarquia,ele deve não medir as consequências de um acidente aéreo, imaturidade de um gestor público, é algo que devemos avaliar na hora do nosso valoroso voto…

    Responder

Deixe uma resposta