Suspeitas de matar taxista alegam legítima defesa, mas polícia trata caso como latrocínio

Taxista foi morto a golpes de faca na manhã de terça-feira, em Petrolina (Foto: Reprodução/WhatsApp)

O delegado da Polícia Civil de Pernambuco, Gabriel Sapucaia deu mais detalhes sobre a morte de um taxista em Petrolina. Segundo Sapucaia, nenhuma possibilidade está sendo descartada nas investigações, mas a tese de maior força até o momento é de latrocínio, roubo seguido de morte.

LEIA TAMBÉM:

Taxista é morto a facadas em Petrolina; duas suspeitas são presas no local do crime

“Fomos acionados para averiguar um suposto homicídio, foram conduzidas duas imputadas até a Delegacia de Plantão. No momento da confecção da lavratura percebemos que estávamos diante de uma situação de latrocínio no qual as duas suspeitas estariam procurando um taxista em potencial para poder cometer o crime de roubo”, disse ao programa Super Manhã com Daniel Campos dessa quarta-feira (25).

A polícia acredita que as duas mulheres – que são companheiras, residem em Petrolina e não têm antecedentes criminais – teriam premeditado o caso. “Alguns taxistas informaram que tinham sido abordados por essas mulheres uma maior de idade e uma menor, elas procurando uma corrida e desistiram por conta do porte físico do taxista. Elas estavam procurando uma vítima ideal para incluir com êxito o delito”, afirmou.

Audiência de custódia

O trabalho da polícia continua e o futuro das suspeitas será definido em uma audiência de custódia. “Nós trabalhamos com todas as linhas de investigação, tudo é levado em consideração. A versão delas vai ser levada em consideração e na audiência de custódia o juiz vai decidir acerca dessa situação que foi mencionada pelas suspeitas. De imediato a gente não pode descartar nada“, concluiu o delegado.

Deixe uma resposta