Comissão de Justiça da Alepe aprova projeto que determina controle de acesso de visitantes em escolas

O Caso Beatriz chocou o país pela forma brutal como a criança foi assassinada dentro de um colégio particular, em Petrolina, no Sertão do São Francisco. E para evitar que novos crimes aconteçam, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) está propondo que as unidades públicas e privadas do estado devem adotar medidas para controle de acesso de pessoas estranhas à comunidade escolar nos eventos abertos ao público externo.

O projeto de lei foi aprovado na Comissão de Justiça, na segunda-feira (18) e é de autoria do coletivo Juntas (PSOL). Pela matéria, pessoas fora do núcleo escolar que tenham 18 anos ou mais devem ser identificadas. Ainda segundo a proposta, as escolas têm liberdade de decidir quais providências são mais adequadas para fazer o registro, mas devem priorizar a segurança dos alunos e integrantes da comunidade escolar.

Beatriz Angélica Mota foi morta em dezembro de 2015, quando acompanhava a família em um evento no Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, no Centro de Petrolina. A menina foi morta com mais de 40 facadas e apenas em 2021 o suspeito foi preso.

Deputado Feitosa faz críticas ao PSol e PT por causa do Caso Beatriz

Na reunião ordinária de hoje da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado estadual Alberto Feitosa (PSC) questionou o fato do PSol e do PT não assinarem a CPI do Caso Beatriz, enquanto se utilizam, segundo o parlamentar, da morte da vereadora Mariele (RJ), do menino de 9 anos assassinado em Barreiros e do congolês no Rio de Janeiro para plataforma política sobre a segurança. “Eles se omitem, de forma subserviente ao Palácio, em colaborar com a apuração e atender os pais de Beatriz e a sociedade pernambucana, neste caso chocante e ainda sem respostas”, disparou o deputado.

Fonte: Blog do Magno Martins

URGENTE: Veja depoimento do suspeito de matar menina Beatriz em Petrolina.

Um vídeo com trechos do depoimento de Marcelo Silva, 40 anos, acusado de ter assassinado a menina Beatriz Mota, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, foi foi divulgado na imprensa. As imagens foram divulgadas pela TV Guararapes nesta segunda-feira (15).

Segundo divulgado na imprensa, esse vídeo foi gravado assim que Marcelo foi identificado com suspeito do crime pela Polícia Civil.

Acusado de matar Beatriz Angélica está em delegacia de Petrolina e contribui com reconhecimento de pessoas que estavam no local do crime

Foto: TV Globo/Reprodução

Marcelo da Silva, de 40 anos, apontado como autor do homicídio que vitimou Beatriz Angélica Mota em 2015 está em uma Delegacia da Polícia Civil, em Petrolina, onde ajuda policiais na identificação de pessoas que estavam no Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora no dia do crime.

Conforme o advogado, Rafael Nunes, informou mais cedo no programa Super Manhã com Waldiney Passos, Marcelo não estará presente na reconstituição nesta sexta-feira (11), realizada no entorno do colégio. Mas que seguirá ajudando a PC-PE na delegacia.

Para o advogado dos pais de Beatriz, Lécio Rodrigues, um dos pontos que precisam ser esclarecidos é a participação de outras pessoas. “Marcelo é o autor do crime, mas outras pessoas contribuíram no crime e também no processo de atrapalhar as investigações”, disse na Rádio Jornal nesta sexta-feira.

Deputada Dulce Amorim rebate falas de Lucinha Mota: “Recebemos com surpresa as declarações”

A deputada Dulce Amorim (PT) encaminhou, nesta sexta-feira (04), uma nota a imprensa rebatendo as declarações dadas por Lucinha Mota, mãe da menina Beatriz, hoje no Programa Super Manhã da Rádio Jornal.

Em nota, Dulce afirma ter ficado surpresa com as declarações de Lucinha.

“Considerando o nosso cuidado e a nossa atenção à luta da família da criança, lamentamos e recebemos com surpresa as declarações feitas na manhã desta sexta-feira (4) na Rádio Jornal Petrolina, no programa Super Manhã, uma vez que transformar o assassinato de uma menina a facadas, dentro de uma escola, em capital político é, no mínimo, desumano”, afirmou a deputada.

Confira a nota da deputada Dulce Amorim na íntegra

LEIA MAIS

Caso Beatriz: Polícia prepara reprodução simulada com suspeito e pais da criança

(Foto: Internet)

Para tirar as últimas dúvidas e fechar o inquérito sobre o assassinato de Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, a Polícia Civil prepara uma reprodução simulada, que deve contar com a presença do suspeito do crime, Marcelo da Silva, de 40 anos, e também dos pais da criança.

A expectativa é para que isso ocorra nos próximos dias, mas, diante da reviravolta que a defesa tenta emplacar para o caso, pode ser que a reprodução simulada seja adiada. Os delegados da força-tarefa que apuram o caso, ocorrido há seis anos em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, mantêm sigilo sobre a data por medida de segurança.

O suspeito de assassinar a menina foi identificado e revelado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) na semana passada. A identificação foi possível graças ao confronto do DNA encontrado na faca usada no crime com o do suspeito, que estava no banco de dados nacional.

Após o resultado ser positivo, os delegados foram ao presídio onde o suspeito cumpre pena por outros crimes e, em depoimento gravado, ele confessou ser o autor da morte de Beatriz. Para embasar ainda mais o inquérito – sem deixar arestas – o Ministério Público solicitou mais diligências antes de decidir pela denúncia à Justiça.

LEIA MAIS

Em carta, suposto assassino da menina Beatriz diz ter “confessado na pressão”

 

 

Foto: TV Globo/Reprodução

Em carta datada de 17/01/2022,  Marcelo da Silva, que na semana passada havia confessado ser o autor do crime que vitimou a criança, Beatriz Angélica, no interior do Colégio Auxiliadora de Petrolina, afirma: ” Eu sou inocente, eu não matei a criança, eu confessei na pressão. Pelo amor de Deus eles querem a minha morte, preciso de ajuda. Estou com medo de morrer. Quero viver. Eu não sou assassino. Quero falar com a mãe da criança. Quero a proteção da minha mãe.”

A informação da confissão do crime fora dada pela Polícia Civil de Pernambuco que afirmou ter prova técnica confirmando que o DNA que fora encontrado na arma do crime era o mesmo de Marcelo da Silva.

Vara no Recife ficará responsável pela custódia do acusado de matar a garota Beatriz

Acusado de matar Garota Beatriz. (Foto: TV Globo/Reprodução)

Após a transferência do preso Marcelo da Silva, suspeito do assassinato da menina Beatriz, para o presídio de Igarassu, o Governo do Estado prestou informações ao juiz de Petrolina, que tinha determinado a transferência do preso para o presídio de Petrolina.

Segundo o Governo do Estado, a transferência de Marcelo para Igarassu foi por não ser recomendável o suspeito ficar preso na mesma cidade em que cometeu o crime, por ser um delito de grande repercussão social.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: Lucinha diz que existe uma quadrilha atrapalhando o inquérito

A mãe da garota Beatriz, Lucinha Mota, participou do programa Super Manhã com Waldiney Passos, na rádio jornal de Petrolina (PE), e deu sua opinião, nesta segunda-feira (17), sobre a forma do seguimento das investigações. Para ela, o suspeito apresentado pela Polícia Civil de Pernambuco é, de fato, o autor do crime, o entanto há o que ela chamou de “quadrilha” atrapalhando o inquérito.

De acordo com Lucinha, embora não exista dúvidas sobre a autoria do crime, o acusado mente muito em seus depoimentos. “Na oitiva dele, ele se defende o tempo todo e defende aquelas pessoas que ele quer proteger, que certamente estão dando algum tipo de proteção a ele”.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: homem confessou assassinato ‘para aliviar coração’ da mãe da menina, diz advogada

Foto: TV Globo/Reprodução

A advogada que representa o homem suspeito de ter matado a facadas a menina Beatriz Angélica, numa escola particular em Petrolina, em 2015, afirmou que o cliente se arrepende do crime. Segundo a Polícia Civil, Marcelo da Silva confessou ter matado a menina depois que a Polícia Científica confirmou que o DNA dele era o mesmo que estava na faca deixada no tórax da criança.

 

Em entrevista exclusiva à Globo, neste sábado (15), a defensora Niedja Mônica da Silva afirmou que o cliente chora ao falar do caso e que quer pagar pelo que fez.

LEIA MAIS

Legista George Sanguinetti avalia desdobramentos do Caso Beatriz: “A história não convence”

Suspeito apresentado pela PC-PE não convenceu população sertaneja (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Caso Beatriz voltou aos holofotes nesta semana, quando a Polícia Civil de Pernambuco anunciou a prisão de Marcelo da Silva, de 40 anos. Ele tem histórico de crimes sexuais contra crianças e seria o autor das facadas que mataram Beatriz Angélica Mota.

LEIA TAMBÉM

“Ele precisa ser preservado”, afirma advogado dos pais de Beatriz sobre homem apontado como autor do crime

Nesta sexta-feira (14), o programa Super Manhã com Waldiney Passos entrevistou por telefone o legista George Sanguinetti. Ele é um dos principais nomes do país e atuou em casos como a morte de PC Farias e de Isabella Nardoni. Em entrevista a Rádio Jornal Petrolina, Sanguinetti disse que o apresentado não foi o autor do homicídio de Beatriz. “É fraca a argumentação, a história não convence”, disse Sanguinetti.

LEIA MAIS

“Ele precisa ser preservado”, afirma advogado dos pais de Beatriz sobre homem apontado como autor do crime

Marcelo é apontado pela SDS como autor do homicídio (Foto: TV Globo/Reprodução)

Para o advogado dos pais de Beatriz Angélica Mota, o Governo de Pernambuco precisa adotar medidas para proteger Marcelo da Silva, apontado como autor do homicídio. Segundo Lécio Rodrigues, o possível assassino ainda tem muito a responder.

LEIA TAMBÉM

Tribunal de Justiça de Pernambuco confirma transferência de suspeito de matar Beatriz Mota para presídio em Petrolina

“Existem questões que precisam ser esclarecidas. Ele, me parece, que não teria de estar dentro do Colégio Maria Auxiliadora. A questão dele ir praticar um furto, também causa estranheza, pela forma como Bea foi assassinada. Por que que houve tanta facada?”, elencou Lécio.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: perguntas que ainda continuam sem resposta, mesmo após prisão de suspeito

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Na noite dessa terça-feira (11), a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) anunciou a prisão do suspeito de matar a garota Beatriz Angélica em dezembro de 2015 com 42 facadas no Colégio Maria Auxiliadora. No entanto, algumas questões que aparentam estar ligadas ao caso ainda continuam sem resposta.

LEIA TAMBÉM

Caso Beatriz: autor do crime narrou com detalhes assassinato e revelou motivação em depoimento

Segundo o secretário, Humberto Freire, em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (12), a motivação do crime apresentada pelo suspeito foi para silenciar Beatriz. “Durante o interrogatório, ele [o suspeito] disse que transitou no local e teve contato com algumas pessoas. Quando teve contato com a vítima, e após breve contato, ela teria se assustado. A motivação foi silenciar Beatriz porque ficou preocupado de que houvesse um revés contra ele”, disse.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: titular da SDS descarta indiciamento ao Colégio Auxiliadora

(Foto: Internet)

Durante a coletiva de imprensa sobre o Caso Beatriz, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Humberto Freire, informou que não há indiciamento ao Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora pelo crime registrado em 2015. Beatriz Angélica Mota foi morta com 42 golpes de faca, dentro da unidade escolar, uma das mais tradicionais de Petrolina e região.

LEIA TAMBÉM

Caso Beatriz: autor do crime narrou com detalhes assassinato e revelou motivação em depoimento

“Indiciamento só existe de pessoa física nesse tipo de delito“, disse ao ser questionado pela imprensa nesta quarta-feira (12). A polícia apurou ainda que não há indicativos de complô ou premeditação do homicídio.

Não há, indicativo nessa autoria, de outras participações”, reafirmou. “Segundo a confissão, foi ao acaso, em razão do desespero momentâneo dela. Não há indicativo de complô ou outras razões“, explicou o secretário.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: autor do crime narrou com detalhes assassinato e revelou motivação em depoimento

Com mais de 1h de atraso, a Polícia Civil de Pernambuco promoveu a esperada coletiva de imprensa sobre o Caso Beatriz, nesta quarta-feira (12). De acordo com as informações repassadas pelo titular da Secretaria de Defesa Social (SDS), Humberto Freire, Marcelo da Silva é o homem que desferiu as 42 facadas em Beatriz Angélica Mota.

LEIA TAMBÉM

PRESO ASSASSINO CONFESSO DE BEATRIZ ANGÉLICA MOTA

Ele foi ouvido ainda ontem e confessou o homicídio. “O suspeito foi indicado cientificamente, foi devidamente interrogado e confessou a prática do homicídio da menina Beatriz. Ele confessou, inclusive, apresentando a narrativa temporal que se coaduna perfeitamente com tudo que havia sido [apresentado] no inquérito“, afirmou Freire.

LEIA MAIS
123