Transposição gera corrida por empregos em obras

Milhares de pessoas estão se candidatando para trabalharem nas obras do Eixo Norte, do Projeto de Transposição do Rio São Francisco (Pisf). A intensa procura teve início após a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspender, no último dia 20, a decisão judicial imposta pelo desembargador federal Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que impedia a continuidade das obras. Com a decisão, o consórcio Emsa-Siton, que ficará responsável por dar continuidade aos serviços deixados pela empresa Mendes Júnior, no Eixo Norte, num trecho de 146 quilômetros, que corta cidades do Pernambuco e Ceará, abriu processo para recrutar centenas de pessoas.

Segundo Caio Bastos, funcionário do consórcio, será contratada, já na próxima semana, mão de obra para mais de dez funções. “Entre as ofertas, temos motorista, carpinteiro, ajudante de pedreiro, auxiliar, enfim, são inúmeros cargos”, pontuou. Ainda segundo ele, em uma semana, a empresa recebeu mais de 15 mil currículos. “A procura está intensa”, disse, ao acrescentar que, “antes mesmo de começarmos a receber os currículos em mãos, já tínhamos recebido mais de dois mil, por e-mail”.

A primeira fase do processo se dará por meio de análise curricular, explica Caio Bastos. Na próxima semana, a Emsa-Siton começa a convocar os aprovados para realização de treinamento. “A contratação efetiva deve ser feita até, no máximo, o dia 5 de julho, para iniciarmos as obras”, acrescentou o funcionário.

Deixe uma resposta