UPAE/IMIP Petrolina será referência na reabilitação para pacientes com microcefalia da IV macrorregião

Acompanhamento de crianças com microcefalia será feito na UPAE com equipe multiprofissional

Acompanhamento de crianças com microcefalia será feito na UPAE com equipe multiprofissional

 A partir do mês de maio, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) se tornará referência na reabilitação para pacientes com microcefalia da IV macrorregião de saúde de Pernambuco. A decisão foi tomada recentemente em uma reunião da qual participaram a direção e equipe multiprofissional da UPAE, gerência e regulação da VIII GERES, e o diretor do Hospital Dom Malan, Etiel Tavares Lins. O prazo será apenas para que sejam realizadas algumas adequações necessárias ao atendimento dos recém-nascidos.

De acordo com dados da VIII GERES, até o momento, na IV macrorregião – que compreende 25 municípios de Pernambuco da VII, VIII e IX regional, com sedes em Salgueiro, Petrolina e Ouricuri, respectivamente – foram notificados 148 casos; destes 20 foram confirmados, 45 descartados e 82 seguem em processo de investigação, aguardando um laudo final do neuropediatra.

Dentro deste cenário, o Hospital Dom Malan é referência na triagem e diagnóstico da doença e a UPAE de Petrolina torna-se referência na reabilitação, através de uma indicação da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, prontamente atendida pela Unidade de Saúde. O que faz todo o sentido, visto que, o Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (IMIP) – que gere a UPAE e o HDM – fundou em setembro de 2015, o Núcleo Central de Monitoramento e Estudo da Microcefalia. Desse modo, o IMIP e suas unidades gerenciadas tornam-se referência de atenção às crianças com microcefalia, desempenhando um papel relevante no enfrentamento dessa nova realidade.

“Na UPAE temos uma equipe multiprofissional, que inclui psicólogo, fisioterapeuta, assistente social, terapeuta ocupacional, nutricionista, oftalmologista e otorrinolaringologista. Toda essa equipe está apta para receber e acolher as crianças e os seus familiares. O foco na família é muito importante, pois a família é co – terapeuta dessa criança. A reabilitação precoce, de 0 a 3 anos, possibilita reduzir o nível de comprometimento causado pela má formação. Vamos ter algumas reuniões e adequar o serviço para receber esse novo público, porque o atendimento, até o momento, é só para adulto. Acredito que em 30 dias, no máximo, estaremos iniciando o trabalho”, afirmou a Coordenadora Geral da UPAE, Magnilde Alves.

Segundo a gerente da VIII GERES, Aline Jerônimo, todos os casos notificados na IV macrorregião, que ainda não foram descartados ou confirmados, seguem em processo de investigação através do ambulatório de referência do HDM. “Essa triagem é feita com pediatras e neuropediatras. Em Petrolina, foram confirmados 8 casos. Temos a previsão de realizar um mutirão no mês de maio. O importante é que, após a confirmação, a reabilitação comece de imediato, para que essa criança tenha uma melhor qualidade de vida e se desenvolva. Esse apoio se estende às famílias, através do acompanhamento psicológico e social. Por isso, essa parceria com a UPAE será de grande importância”, ratificou.

A porta de entrada desse paciente deverá ser através da fisioterapia, visto que, praticamente 100% dos casos tem indicação para o serviço. A partir daí, a criança passará pela equipe multiprofissional de forma otimizada, respeitando, claro, as condições clínicas de cada uma. O acompanhamento da criança com microcefalia será feito na própria UPAE, com algumas contra referências para os municípios de origem. “Todos os casos passarão pela regulação e os devidos encaminhamentos serão feitos, de modo a garantir toda a assistência necessária”, finalizou a Coordenadora de Regulação da VIII GERES, Maristela Almeida.

DA assessoria

Deixe uma resposta