Vagão exclusivo para mulheres deve ser implantado no Metrô do Recife

(Foto: Internet)

O “Vagão Mulher Segura”, exclusivo para mulheres deve começar a funcionar já na terceira semana de janeiro no metrô do Recife, de acordo com o superintendente regional da Companhia Brasileira de Trens Urbanos, Leonardo Villar Beltrão. O anúncio foi feito pouco mais de um mês antes do Carnaval, para que a iniciativa seja testada antes das festas, quando o número de pessoas que utilizam o meio de transporte aumenta exponencialmente, junto com dos casos de violência contra a mulher, que subiram quase 14% até novembro de 2016, em comparação com o mesmo período de 2015.

Segundo Leonardo Villar, pelo menos inicialmente, o vagão exclusivo será implantado em apenas um dos 34 trens existentes na malha viária do Grande Recife. A fiscalização dos vagões exclusivos segue o modelo já em vigor no Rio de Janeiro, São Paulo e, desde novembro do ano passado, Belo Horizonte. Agentes de segurança farão a fiscalização em tempo integral.

“Existe uma grande discussão acerca da necessidade do vagão só para mulheres, porque algumas pessoas dizem que essa não é a solução mais adequada. Em função da divisão de opiniões, o vagão dedicado começa apenas em fase de testes, já na próxima semana, com agentes de segurança permitindo a entrada exclusiva de mulheres. Se os resultados forem positivos, a iniciativa será expandida”, disse o superintendente.

A iniciativa partiu das próprias usuárias do metrô do Recife, que reclamam da insegurança no metrô, especialmente por causa dos recentes casos de violência dentro e fora dos vagões. Em setembro de 2016, uma passageira denunciou ter sido seguida em uma estação e estuprada dentro do metrô, na Zona Oeste do Recife. O suspeito chegou a ser detido por seguranças do metrô, mas foi liberado após ser ouvido pela polícia.

Apesar de ser exclusivo para mulheres, o vagão será fiscalizado por agentes de segurança masculinos, de acordo com a CBTU. “No quadro de empregados não há funcionárias o suficiente para que os vagões sejam fiscalizados por agentes mulheres. Queremos testar e aprimorar a ferramenta, para assim também aprimorar o sistema de segurança em toda a malha viária”, afirmou Leonardo Villar.

Com informações do G1PE

Deixe uma resposta