Vereador Pérsio Antunes reclama sobre falta de procedimentos de laqueadura tubária e cobra Secretaria da Saúde

O vereador requereu à Secretaria de Saúde os contatos e endereços das pacientes, porém só recebeu os nomes. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante sessão ordinária na Casa Plínio Amorim, nesta terça-feira (20), o vereador Dr. Pérsio Antunes (PV) exigiu explicações da Secretaria da Saúde sobre a falta de procedimentos de laqueadura tubária na cidade. Segundo o parlamentar, de um total de 2 mil procedimentos que deveriam ser realizados, somente 320 foram concluídos.

“Nós solicitamos na penúltima sessão à Secretaria da Saúde uma série de informações a respeito de compra de medicamentos que estão faltando nos postos, mas que foram mais de 20 milhões comprados. E de R$ 5 mi que foram colocados no orçamento de 2015 para 2016, para laqueadura tubária. A secretária me mandou a relação das pacientes que foram 320 de um total que eram para ser feitas 2 mil laqueaduras tubárias”.

Pérsio Antunes falou ainda sobre denúncias que ele recebeu nas quais algumas pacientes afirmaram que foram reunidas durante o período eleitoral com a promessa da realização do procedimento. O vereador requereu à Secretaria de Saúde os contatos e endereços das pacientes, porém só recebeu os nomes.

“O que é mais grave é que eu tenho denúncias que no mês de setembro, que era mês eleitoral, algumas pacientes foram reunidas com a promessa da realização do procedimento. Eu mandei solicitar os endereços e os contatos dessas pacientes e só disponibilizaram os nomes. Inclusive existe a denúncia de que pessoas de outras cidades vieram fazer laqueadura aqui. Isto e caso de Polícia Federal, é dinheiro público, dinheiro nosso, só não é de Polícia Federal porque os valores são de rubrica municipal. Mas é preciso que para a secretaria vir prestar contas aqui, que ela mande as solicitações que foram feitas e aprovadas por esse plenário”.

O parlamentar defendeu a fiscalização exercida pela Casa e exigiu que a Secretaria enviasse todos os dados solicitados  e aprovados pelo plenário da Câmara.

“Não é possível que se gaste um dinheiro e a gente não tenha o direito de saber como foi gasto. Nós somos fiscais do povo e do Executivo, e devemos investigar os valores aplicados, de forma transparente. Exijo que a secretaria encaminha a relação com os contatos, endereços e CPF, pois está Casa autorizou e tem o direito de fiscalizar. Se não enviar, vai ter problema para a secretaria e nós não vamos permitir esse tipo de desordem com o erário público”.

Deixe uma resposta