Vereadores apresentam balanço de viagem a Brumadinho e cobram medidas para evitar maiores danos ao rio São Francisco

Vereadores fizeram balanço de viagem a Brumadinho (Foto: Blog Waldiney Passos)

A Comissão Especial montada pela Câmara de Vereadores de Petrolina para visitar Brumadinho (MG) apresentou, nessa segunda-feira (25), uma visão geral do observado na cidade atingida por mais uma tragédia natural causada por rompimento de barragens da Vale.

Cristina Costa (PT) e Ronaldo Souza (PTB) passaram uma semana em Minas Gerais reunidos com vereadores de outras Casas Legislativas e moradores de Felixlândia, Belo Horizonte e Brumadinho. Segundo os edis, nos próximos dias um relatório da visita será apresentado aos petrolinenses, mas de imediato a sensação provocada com a viagem é impactante.

LEIA TAMBÉM:

Relatório afirma que rio São Francisco está contaminado com rejeitos de Brumadinho

“Somente chegando a Brumadinho que eu tive a dimensão da importância desse intercâmbio entre as Câmaras de Brumadinho, Petrolina e Belo Horizonte. O rio Paraopeba está morto, a região Norte tem seis milhões de habitante e é abastecida com esse rio”, destacou Cancão.

Edis coletaram água em três pontos (Foto: Blog Waldiney Passos)

Presença de metais e omissão do Estado

Segundo Cancão, foi detectada a presença de sete tipos de metais no rio após o rompimento do Córrego do Feijão. Apesar da gravidade dos danos, o Governo do Estado criou uma intervenção e barrou a divulgação de informações ao moradores.

“O Governo de Minas Gerais tem uma convivência íntima com a Vale, nada funciona [sem aval da empresa]. Foi proibido o acesso dos vereadores e do prefeito nas áreas do acidente, o Estado colocou tapumes. Pra nossa surpresa, nem o laudo do Paraopeba foi feito pelo Estado. Quem fez o laudo foi a Vale e só ela tem [as informações]. O Estado está omisso”, ressaltou Cancão.

Providência dos governos

Para Cristina Costa, agora é o momento de criar medidas e evitar maiores danos ao Velho Chico. “Nossa preocupação é como vai ficar nossa região para o consumo da água, aos pescadores, a agricultura. Nossa região já tem um alto índice de câncer. A deles é ser reconhecido como atingido para receber dinheiro da Vale, a gente quer previr danos a vida humana e dos peixes”, afirmou.

O relatório elaborado pela Comissão será discutido com instituições públicas de ensino e órgãos estaduais. Ainda segundo a petista, é dever cobrar o bloco dos governadores do Nordeste. “Tem que ter uma mobilização ampla, principalmente do Governo do Estado pra ir pra cima do Governo Federal. A Vale tem a preocupação com o capitalismo”, finalizou.

Um Comentário

  • Heraldo Francisco

    25 de março de 2019 at 13:00

    Se ficar de braços cruzados sem tomar providências o nosso velho Chico vai morrer igual ao rio Tietê em são Paulo e nós também vamos morrer de sede por quê Petrolina não tem açudes para a abastecer a cidade

    Responder

Deixe uma resposta