Vereadores de Juazeiro engrossam cobranças ao Governo da Bahia a respeito de investimentos na saúde pública

Vereadores cobraram mais recursos para a Maternidade, UPA e SOTE de Juazeiro (Foto: Arquivo)

A saúde de Juazeiro foi o principal tema debatido pelos vereadores nessa semana. Eles aproveitaram a passagem do secretário de Saúde da Bahia para cobrar melhorias no Hospital Maternidade e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Neguinha da Santa Casa (MDB) criticou a Rede PEBA, que segundo ela “é peba mesmo”. A vereadora se revoltou com uma colocação do secretário Fábio Vilas-Boas, a respeito dos gastos com a maternidade local e o chamou de “frio” por ver o descaso do Governo do Estado e não buscar soluções.

“A gente vê que não tem o mínimo de interesse de resolver as coisas das pessoas que estão lá na ponta, os pacientes. Quando eu vejo o secretário de Saúde do Estado dizer que se resolve os problemas da saúde com R$ 600 mil reais. Cadê a responsabilidade, cadê a humanização? Eu peço que peguem esses R$ 600 mil para ele gerenciar a Maternidade de Juazeiro, com a quantidade de partos que tem na nossa cidade. São pacientes de 55 municípios e se ele tiver condições de gerenciar a maternidade com R$ 600 mil ele é o cara”, ironizou.

Desdém do Governo da Bahia

Antes dela, Charles Leal e Allan Jones (PTC) também reivindicaram soluções para o caos na saúde pública. “Juazeiro clama por replanejamento da saúde. Uma gestora da Bahia havia dito de forma fria que não havia necessidade do recredenciamento da SOTE”, pontuou Jones que também é medico.

Apoio dos deputados estaduais

Leal que é irmão do deputado estadual Roberto Carlos (PDT) disse ser necessário pedir apoio de Roberto e Zó (PC do B), eleitos por Juazeiro. “Nós temos que cobrar deles, um é meu irmão. A responsabilidade não só cabe a nós vereadores e ao prefeito. Cabe ao governador do Estado e nós não podemos deixar as pessoas sofrer”, finalizou.

Deixe uma resposta