Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Juazeiro: SESAU afirma que paciente recebeu atendimento adequado no Hospital Materno Infantil

(Foto: Reprodução/Internet)

Na sexta-feira (21) o Blog mostrou o relato de uma gestante que buscava atendimento no Hospital Materno Infantil de Juazeiro (BA). Sheila Tamires Almeida Alves relatou ter pré-eclâmpsia e pressão alta, contudo aguardou por mais de oito horas até receber atendimento.

Em nota a Prefeitura de Juazeiro, através da secretaria de Saúde (SESAU) relatou que a paciente “foi avaliada pela enfermeira obstetra que não diagnosticou sinais de gravidade e nem trabalho de parto ativo. Em virtude da alteração de pressão, foi internada pelo obstetra para definição do parto e avaliação clínica. Manteve-se com pressão controlada após iniciada medicação”.

LEIA TAMBÉM:

Gestante reclama de atendimento na Maternidade de Juazeiro

A respeito dos problemas no atendimento enfrentados na unidade a SESAU ressaltou que o Hospital Materno está super lotado, com todos os 62 leitos ocupados “e com isso dificultando a qualidade na prestação do serviço”. Confira a seguir a nota na íntegra:

NOTA SAÚDE

A Secretaria Municipal da Saúde/SESAU informa que no dia 11 de dezembro expôs o problema de super lotação do Hospital Materno Infantil de Juazeiro/HMIJ, quando solicitou a repactuação da rede PEBA, mas até o momento não obteve retorno dos governos de Pernambuco e da Bahia. Mesmo informando que todos os 62 leitos do HMIJ estão ocupados, os municípios continuam enviando pacientes para Juazeiro e com isso dificultando a qualidade na prestação do serviço.  Não há disponibilidade de leito e as pacientes que chegam são informadas, avaliadas e ficam aguardando disponibilidade de atendimento.

No último dia 13 de dezembro a SESAU acionou o Ministério Público, a Rede CRIL (Central de Regulação Interestadual de Leitos) e também as Secretarias da Saúde dos Estados de Pernambuco e da Bahia, mas até o momento ainda não tivemos nenhuma resolução imediata. Com isso, a gestão municipal e os profissionais da unidade estão trabalhando para atender as necessidades priorizando os casos de maior gravidade. A SESAU ressalta ainda que o HMIJ é uma unidade de risco habitual, de baixa complexidade, porém atende todas as pacientes que chegam na unidade e, em casos que não são do nosso perfil, as mesmas são transferidas através da regulação para outros hospitais referência na região. 

A Secretaria mantém o seu compromisso com a REDE e com a população Juazeirense de manter o serviço ativo e em bom funcionamento. De janeiro até novembro o HMIJ realizou mais de 17 mil atendimentos obstétricos e destes, mais de 5 mil foram partos, estes somados chegam a quase 50% dos partos em pacientes de cidades vizinhas pertencentes à rede PEBA.

Sobre a paciente Sheila Tamires Almeida Alves, ela deu  entrada nesta quinta- feira (20), com a pressão um pouco elevada, mas sem sinais de pré-eclampsia. Inicialmente foi avaliada pela enfermeira obstetra que não diagnosticou sinais de gravidade e nem trabalho de parto ativo. Em virtude da alteração de pressão,  foi internada pelo obstetra para definição do parto e avaliação clínica. Manteve-se com pressão controlada após iniciada medicação. Está realizando ultrassonografia para avaliação fetal e definição sobre via de parto.

Deixe uma resposta