Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

“Os impostos que eu pago mensalmente, pra onde é que vai?”, questiona mãe de Alisson Dantas

Ana Cláudia (esq.) participou de manifestação do Caso Beatriz (Foto: Blog Waldiney Passos)

Inconformada com a demora da transferência de Reziélio de Almeida do Paraná para Pernambuco, Ana Cláudia Dantas, mãe de Alisson Dantas conversou com a nossa equipe nessa semana e contou como descobriu que o Governo do Estado não tem verba para realizar a viagem do preso.

Segundo Ana, o julgamento de Reziélio estava previsto para agosto. Ela então procurou a Justiça de Petrolina para saber o porquê da demora em transferir o preso do Paraná, foi então que descobriu essa situação.

LEIA TAMBÉM:

Mãe de Alisson Dantas cobra transferência de Reziélio para Pernambuco

“Pra ter um julgamento precisa de um réu, fui cobrar e me disseram que ele não tinha chegado ainda porque não tem verba. Mas eu fiquei sabendo que existe um prazo e depois que esse prazo vence, o Estado do Paraná não é obrigado a segurar ele lá. E os impostos que eu pago mensalmente, pra onde é que vai?”, questionou.

Alisson foi morto em 2015, no bairro Quati, quando Reziélio desferiu vários golpes de faca do tipo peixeira contra o jovem. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no Hospital Universitário. O crime chocou a comunidade petrolinense e apesar da repercussão, Reziélio só foi preso em maio de 2018.

Caso Beatriz e Alisson Dantas

Ana Cláudia participou da manifestação organizada pelos familiares de Beatriz Angélica Mota, na quinta-feira (2), a convite de Lucinha Mota. “Ela ficou sabendo da minha causa também e me procurou. Depois de 2 anos e 7 meses aparece uma equipe totalmente dedicada, busca e prende e agora o Estado vem dizer que não traz porque não tem verba”, comentou a mãe de Alisson.

Durante a semana nossa equipe procurou a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) de Pernambuco, questionando essa demora na transferência de Reziélio de Ponta Grossa (PR) à Petrolina. No entanto, apesar de nossas cobranças, não tivemos um retorno.

Deixe uma resposta