Exclusivo: motorista que atropelou ciclistas em Petrolina ainda será ouvido em processo; famílias das vítimas anseiam por justiça

Anaelton e Rogério morreram atropelados em dezembro de 2018 (Foto: Reprodução/Internet)

23 de dezembro de 2018. Nessa data os amigos Anaelton Rodrigues e Rogério Teles pedalavam com outros ciclistas na BR-428, na zona rural de Petrolina quando foram atropelados e mortos por um condutor embriagado. Desde então as famílias buscam justiça e aguardam o julgamento do motorista Lucas Roberto Amorim.

O Blog Waldiney Passos apurou com exclusividade que o processo já teve duas audiências realizadas – em 13 de agosto (audiência de instrução) e 18 de setembro – essa última para ouvida de seis testemunhas de acusação. Conforme mostramos anteriormente, Lucas foi denunciado por homicídio culposo.

LEIA TAMBÉM:

Condutor que atropelou e matou ciclistas em Petrolina responderá por homicídio culposo

Ciclistas ocupam ruas de Petrolina e cobram justiça para Anaelton e Rogério

Petrolina: ciclistas morrem atropelados em acidente na BR-428 

De acordo com o advogado do réu, Marcílio Rubens Gomes Barboza, o próximo passo será ouvir as testemunhas de defesa. “Haverá a audiência para oitiva das testemunhas arroladas pela defesa, a qual ocorrerá na cidade onde as testemunhas residem, Lagoa Grande. Após a oitiva dessas testemunhas, será ouvido o Lucas, em uma outra audiência”, disse ao Blog.

Vítimas morreram em dezembro passado (Foto: Reprodução WhatsApp)

Sem júri popular

Ainda segundo o advogado, como Lucas responde a uma acusação de homicídio culposo “a competência não recai ao tribunal do júri, o qual julga apenas os crimes dolosos contra a vida” e não há previsão para encerramento do processo.

Lucas Roberto Amorim é réu no processo enquadrado como crime de trânsito que tramita na 2ª Vara Criminal da Comarca de Petrolina. O Em nota, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) afirmou que “o réu ainda será interrogado por meio de carta precatória, pois não se encontra no município”.

Família quer justiça

Nossa produção entrou em contato com Keyla Kaelly, viúva de Anaelton. Ela se diz indignada que ainda não houve punição ao condutor. “Tem todas as provas contra ele, uma pessoa dirigindo com habilitação vencida, dirigindo embriagada. A gente fica indignada, isso vai acabar em pizza” desabafou.

A família de Rogério também acompanha o processo e segundo a Vanessa Teles, irmã do ciclista, a única expectativa que eles têm é que haja punição ao réu. “A gente espera que a justiça seja feita, que isso que ele fez com meu irmão não fique impune para que amanhã ou depois ele não faça outra família passar o que a gente tá passando“, disse.

Deixe uma resposta