Governo Federal demitirá secretário da Cultura que parafraseou ministro nazista de Hitler

Roberto Alvim será demitido (Foto: Reprodução/Twitter)

A repercussão de uma fala divulgada na quinta-feira (16) custará o emprego do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim. Ele fez um discurso semelhante ao do ministro da Propaganda da Alemanha Nazista, Joseph Goebbels.

Assim como Goebbels havia afirmado no século passado que a “arte alemã da próxima década será heroica” e “imperativa”, Alvim disse – em um vídeo divulgado nas redes sociais da pasta – que a “arte brasileira da próxima década será heroica” e “imperativa”. Na manhã de hoje ele usou as redes sociais para dizer que a frase foi coincidência, mas o Planalto já avisou que irá demiti-lo.

Segundo a Folha de São Paulo, membros do Governo Federal já teriam avisado aos líderes do Congresso sobre a demissão de Alvim. O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos chegou a telefonar aos líderes do Congresso antecipando a demissão, prevista para ser formalizada ainda hoje.

Sob ordens de Hitler, Goebbels convocou a população alemã a boicotar negócios judeus, incentivou e organizou a queima de livros considerados “não alemães”, num período marcado por mortes e consequentemente pelo Holocausto.

Exclusivo: funcionário desmente nota do HDM e relata demissão por justa causa após gravar vídeo mostrando estragos causados por chuva

Funcionário acionou a Justiça para buscar direitos (Foto: Blog Waldiney Passos)

No dia 6 de janeiro, Petrolina registrou uma forte chuva durante a noite. Um funcionário do Hospital Dom Malan/IMIP fez um vídeo para mostrar a situação da unidade, que registrou alagamentos em algumas áreas. Dois dias depois das imagens circularem em grupos de WhatsApp, ele e uma colega de trabalho foram demitidos por justa causa.

LEIA TAMBÉM

Dom Malan desmente boato e classifica de “informação equivocada” notícia sobre demissão de funcionários

Em conversa com o Blog Waldiney Passos, o funcionário – que será mantido em sigilo – desmentiu a nota encaminhada pela assessoria do hospital que alegava não ter havido corte de profissionais. “Minha demissão e de minha amiga foi no dia 8 de janeiro. Fomos informados que agimos com improbidade ao fazer o uso do celular dentro do hospital e por causa do vídeo fomos demitidos por justa causa“, relatou à nossa equipe.

Ele e sua colega eram terceirizados pela Solunni Serviços Especializados, prestadora de serviços no HDM cuja sede é no Recife. O conceito de improbidade é “falta de honradez, de integridade, de lisura”. Ou seja, a empresa entendeu que os profissionais erraram ao mostrar a realidade do hospital.

Dom Malan desmente boato e classifica de “informação equivocada” notícia sobre demissão de funcionários

Unidade considerou notícia “inverídica” (Foto: Arquivo)

Um vídeo que mostra funcionários do Hospital Dom Malan/IMIP mostrando os estragos causados pelas chuvas dessa semana repercutiu nas redes sociais. Porém, a direção da unidade nega qualquer represália aos servidores e desmentiu a informação sobre demissões.

Procurado pelo Blog Waldiney Passos o o HDM respondeu em nota que “nenhum funcionário contratado em regime celetista pelo HDM foi demitido nos últimos dias. Desse modo, considera a informação equivocada”.

O vídeo em questão foi divulgado na noite de segunda-feira (6), quando uma forte chuva atingiu Petrolina e alagou alguns pontos da cidade. Funcionários apareciam usando rodos para puxar a água empoçada dentro da unidade médica.

Procuradores pedem desligamento do Grupo de Trabalho da Lava Jato em retaliação a Dodge

A procuradora não está entre as cotadas para o próximo mandato na PGR

Seis procuradores que integravam o Grupo de Trabalho da Operação Lava Jato pediram desligamento das atividades nesta quarta-feira (4).

Na nota, assinada em conjunto, os integrantes alegaram incompatibilidade com a postura da procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, diante do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com O GLOBO, a insatisfação estaria diretamente ligada a uma manifestação de Dodge sobre a delação premiada do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro.

A representante do Ministério Público na Suprema Corte encaminhou pedido de homologação da delação do empresário.

Dodge pediu o arquivamento preliminar de trechos da delação que envolviam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ex-prefeito de Marília (SP) José Ticiano Dias Toffoli, irmão do presidente do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli.

Ainda de acordo com a publicação, Maia e Toffoli defendiam a recondução da procuradora para mais um mandato no Supremo.

Os procuradores avisaram sobre o desligamento em mensagem enviada a grupos coletivos de trabalho das forças-tarefas da Lava-Jato em Curitiba e no Rio.

Segue nota na íntegra:

Prezados colegas,

Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019), decidimos solicitar o nosso desligamento do GT Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO. Enviamos o pedido de desligamento da data de hoje.

Foi um grande prazer e orgulho servir à Instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês.

Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade.

Raquel Branquinho
Maria Clara Noleto
Luana Vargas
Hebert Mesquita
Victor Riccely
Alessandro Oliveira

Prefeitura esclarece situação de servidora grávida desligada do quadro

Márcia Maria da Silva já procurou a prefeitura, mas até o momento nada foi resolvido. (Foto: Márcia Maria)

Márcia Maria da Silva Novaes procurou o Blog Waldiney Passos para denunciar um embate com a prefeitura de Petrolina (PE), após a mesma alegar ter sido demitida mesmo estando grávida, o que ocasionou a perda de seus direitos. A denunciante trabalhava como merendeira na CEMEI Bebedouro I, em Petrolina, desde a gestão anterior. Segundo ela, nos últimos anos a participação em seleções simplificadas garantiu sua permanência no cargo.

O contrato de Márcia e demais funcionárias encerrou no dia 30 de março deste ano, e ela não fez a última seleção realizada pela Secretaria de Educação Municipal. “Eu estava grávida e me afastei do trabalho. Eu tive bebê prematuro e no que eu tive, quando a gente vai dar entrada no salário maternidade, a gente não consegue por que estava trabalhando. Eu tive que protocolar e dá entrada no processo da prefeitura para eles me readmitirem pra eu pode ter esse benefício do meu auxílio maternidade, mas desde que eu recorri eles não dão resposta nenhuma.”

No dia 29 de maio, Márcia deu entrada no protocolo, e desde então a resposta que é dada pelos funcionários é que o processo “está na mão do Procurador”. “Eu não posso recorrer na Justiça, só posso recorrer depois que o Procurador der uma resposta. A única coisa que e consegui até agora foi uma agenda com um carimbo de que ele recebeu meu processo”, completou Márcia, ressaltando as dificuldades enfrentadas.

Desgaste com elenco motivou demissão de Carlos Rabelo, afirma presidente da Juazeirense

Deputado estadual e presidente do Cancão reconheceu falha na condução da equipe (Foto: Ascom)

Fadiga. Esse foi o motivo da demissão de Carlos Rabelo da Desportiva Juazeirense. O próprio presidente do Cancão de Fogo admitiu que o clima não estava bem entre elenco e o ex-comandante. Roberto Carlos participou do programa Super Manhã com Waldiney Passos hoje (3) e comentou a mudança.

“Rabelo nos deu muitas alegrias, desde fevereiro ele estava treinando o time. Mas teve aquela fadiga, os jogadores já não obedecem ele taticamente e nós tivemos que tomar uma providência. A culpa é nossa também, porque deixamos ele muito exposto”, disse.

LEIA TAMBÉM:

Juazeirense demite Carlos Rabelo e anuncia novo treinador

Para ele, a diretoria errou em não blindar Rabelo que pagou o preço. “O desgaste é natural, do dia a dia. Imagine um treinador lidar com 30 jogadores, tem jogador que tem vaidade e nós temos que lidar com isso. Nós deixamos nosso treinador muito exposto, nós não assumimos a nossa função. Isso dá um desgaste natural“, reconheceu.

Rabelo evitou o rebaixamento da Juazeirense no Campeonato Baiano de 2019, comandou a equipe durante toda a primeira fase e mata-mata da Série D e mesmo assim foi demitido. A torcida juazeirense se dividiu com a decisão, mas fato é que já há um novo comandante: Maurílio Silva foi anunciado ainda ontem e já comandou a equipe, mirando o duelo decisivo contra o Iporá (GO) no domingo (7).

Juazeirense demite Carlos Rabelo e anuncia novo treinador

Carlos Rabelo assumiu equipe durante Baiano de 2019 (Foto: Carlos Humberto)

O empate em casa no último domingo (30) não agradou a diretoria da Desportiva Juazeirense. Agora pouco o clube anunciou a demissão de Carlos Rabelo que comandou a equipe na metade do Campeonato Baiano e durante toda a campanha no Campeonato Brasileiro da Série D.

Não demorou muito para o Cancão já anunciou o novo comandante. O escolhido é Maurílio Silva, que tem passagens pelo futebol cearense e piauiense. “A diretoria do Cancão optou pela mudança antes da partida decisiva contra o Iporá. Maurílio foi vice campeão cearense pelo Uniclinic em 2016 e a partir de agora será o novo comandante do Cancão”, informou o clube.

O primeiro compromisso do novo treinador será nessa tarde, quando treinará a equipe num jogo treino em Petrolina. A Juazeirense volta a campo para valer no domingo (7), fora de casa, contra o Iporá, em Goiás.

Após fala de Bolsonaro, presidente do BNDES deixa cargo

Nomeação de ex-funcionário na Era PT desagradou Bolsonaro (Foto: Ed Alves)

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, pediu demissão do cargo na manhã de hoje (16), um dia após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmar que a cabeça do economista estava “a prêmio”.

Nos bastidores especula-se que o motivo da bronca de Bolsonaro seria a nomeação do executivo Marcos Barbosa Pinto, que já trabalhou em gestões petistas e desagradou o Palácio do Planalto. “Solicitei ao ministro da Economia, Paulo Guedes, meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda. Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas”, informa nota divulgada pela assessoria do BNDES.

Levy agradeceu pela oportunidade de trabalhar no BNDES e a sua equipe. “Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria. E, especialmente, agradeço aos inúmeros funcionários do BNDES, que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade”, finalizou.

“Achei muita covardia”, diz diretor de sindicato após garantir que demissão de vigias foi a mando de Odacy Amorim

Presidente e Diretor Financeiro do Sindicato de Vigilantes teceram críticas à atuação de Odacy Amorim na demissão de vigias no IPA Petrolina.

Durante o programa “Super Manhã”, com Waldiney Passos, na rádio jornal, o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Laércio Vasconcelos, e o Diretor Financeiro, Cláudio Arruda, criticaram demissões de vigias que tem acontecido no Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) de Petrolina, que está sob o comando de Odacy Amorim.

De acordo o presidente do sindicato, Odacy teria demitido dois vigilantes do quadro para colocar duas pessoas ligadas a ele, como cabide eleitoral. “Após a demissão, os vigias foram questionar a empresa e a direção informou que foi a pedido de Odacy”.

A principal cobrança de Laércio e Cláudio é que Odacy teria prometido, quando assumiu o cardo de presidente da instituição, que não demitiria ninguém. “Eu achei muita covardia dele conversar com a gente em uma reunião e quando a gente dá as costas recebe essa apunhalada por trás”, disse o Diretor Financeiro do Sindicato.

Gustavo Bebianno diz que deve desculpas ao Brasil por ter viabilizado candidatura de Bolsonaro

(Foto: Internet)

Diante da crise política em que virou protagonista, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, fez um desabafo para interlocutores próximos e demonstrou profundo arrependimento em ter trabalhado ativamente pela eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Preciso pedir desculpas ao Brasil por ter viabilizado a candidatura de Bolsonaro. Nunca imaginei que ele seria um presidente tão fraco”, disse Bebianno para um aliado, numa referência à influência dos filhos do presidente nos rumos do governo, especialmente o vereador Carlos Bolsonaro.

SDS emite nota sobre a possível demissão do presidente do SINPOL

(Foto: TV Jornal/Reprodução)

Na última quarta-feira (6) o Blog Waldiney Passos publicou um matéria sobre a manifestação de Policiais Civis de todo o Brasil contra a demissão do presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL), Áureo Cisneiros. O protesto foi realizado na última quinta-feira (7), no Parque 13 de maio, em Recife (PE).

De acordo com o SINPOL, Áureo Cisneiros e demais diretores do sindicato, estão sendo vítimas de perseguições políticas por parte do Governo do Estado de Pernambuco, que teria ameaçado demitir o presidente do SINPOL.

LEIA TAMBÉM

Policiais Civis de todo o Brasil confirmam participação de ato contra a demissão de Áureo Cisneiros nesta quinta-feira

Áureo Cisneiros é eleito presidente da Federação Interestadual de Trabalhadores Policiais Civis do Nordeste

Para saber o posicionamento do Governo do Estado sobre as denúncias feitas pelo SINPOL, a equipe de Produção do Blog Waldiney Passos contactou a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, que por meio de nota não confirmou a demissão de Áureo Cisneiros, mas explicou a atual situação trabalhista do presidente do SIINPOL. Confira a nota na íntegra: 

Após derrota fora de casa, Ailton Silva pede demissão da Juazeirense

(Foto: Agência CH)

Ailton Silva não é mais o treinador da Desportiva Juazeirense. O comandante pediu demissão após a derrota por 3×0 para o Remo, fora de casa na sexta-feira (29). Segundo notícias de bastidores, a saída foi amigável a diretoria, Ailton alegou improdutividade na saída do Cancão de Fogo.

Por enquanto o auxiliar-técnico Alcir Silva assume interinamente, mas dois nomes já são cotados para comandar a Juazeirense até o final do Campeonato Brasileiro da Série C. Um deles é Evandro Guimarães, que já possui passagem pelo clube.

Ailton dirigiu o time em 10 jogos, com aproveitamento de 40%, vencendo três partidas, perdendo quatro e somando três empates.

Senado aprova projeto de lei que permite a trabalhador sacar FGTS integral em caso de demissão

(Foto: Ilustrativa)

O Senado Federal aprovou nessa quarta-feira (11) um Projeto de Lei do Senado (PLS) 392/2016, que pode facilitar a vida do trabalhador. Segundo a proposta, quem pedir demissão poderá sacar integralmente o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

A matéria foi aprovada pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e, caso não haja apresentação de recurso para análise do tema no plenário da Casa, o texto seguirá diretamente para apreciação na Câmara dos Deputados.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) hoje prevê o resgate de 80% do FGTS, em casos de demissão por acordo entre patrão e empregado. Para o relator do projeto, o senador Paulo Paim (PT-RS), esse é um passo rumo à “correção de uma distorção histórica” na legislação que trata do FGTS.

Com informações da Folha PE

Câmara de Vereadores de Petrolina começa a demitir funcionários para se enquadrar na lei de responsabilidade fiscal

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O presidente da casa Plínio Amorim, vereador Osório Siqueira (PSB), não fala em números, não diz quantas pessoas serão. Mas a partir desta quarta-feira (07), a Câmara deve concluir o processo de demissão de funcionários para se adequar à lei de responsabilidade fiscal.

A Lei de Responsabilidade Fiscal foi criada, no início dos anos 2000, com o intuito de definir o limite de gastos dos estados e municípios, conforme a quantidade de tributos arrecadados por esses entes da Federação Brasileira. Ou seja, a lei estabelece normas para que os gestores não gastem mais do que arrecadam.

“Nós temos que cumprir a lei de responsabilidade fiscal. Temos que cumprir as exigências do Tribunal de Contas. Então a forma da gente se enquadrar, é fazendo a redução de despesas e a despesa maior que temos é na folha de pessoal”, justifica Osório Siqueira.

O presidente explicou, que precisa ajustar o limite prudencial e equilibrar os recursos financeiro da Câmara para cumprir os compromissos assumidos com fornecedores.

Osório Siqueira, presidente da Câmara. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Osório informou também, que esperava um repasse maior do município este ano, mas não aconteceu. A Câmara de Petrolina deve receber em 2018, um montante de 15 milhões e 864 mil reais, ou seja, 1 milhão e 322 mil por mês. A quantia é equivalente a 5% da receita corrente líquida do município, relativa a 2017.

Valor, que segundo o presidente da casa Plínio Amorim, não dar para continuar mantendo as atuais despesas. O dinheiro é usado para pagar os salários dos vereadores, estrutura de gabinetes, salários dos funcionários, material de expediente, contas de telefone, água, energia, internet e manter toda a estrutura do prédio.

 “Não tem como tirar leite de pedra. Não tem como a gente deixar isso continuar, porque se não vai causar um problema maior. A gente fica triste porque pessoas vão perder seus empregos, mas não tem outro jeito”, lamentou Osório Siqueira.

O vereador informou ainda, que não cortará funcionários dos gabinetes dos vereadores. As demissões serão realizadas do quadro administrativo da casa Plínio Amorim. Para o presidente, os cortes não comprometem o funcionamento da Câmara Municipal.

Alegando falta de apoio, Bruno Araújo deixa o Ministério das Cidades

O movimento de Bruno Araújo abre caminho para a reforma ministerial. (Foto: Arquivo)

Nesta segunda-feira (13) o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), encaminho uma carta de demissão ao presidente Michel Temer (PMDB). O pedido de exoneração se deu em meio ao racha político no PSDB.

Na carta de demissão, o titular das Cidades agradece a oportunidade de comandar a pasta e justifica a saída do governo ao fato de, segundo ele, já não haver dentro do PSDB “apoio no tamanho que permita seguir nesta tarefa”.

O movimento de Bruno Araújo abre caminho para a reforma ministerial. A ideia do presidente da República era tirar dois ministros do PSDB, entre os quais Bruno de Araújo. A ministra de Direitos Humanos, Luislinda Vallois, também pode deixar o primeiro escalão.

123