Vereadores da base governista questionam decisão da Justiça sobre Matadouro Público

(Foto: ASCOM)

Não foi apenas o líder da situação, Aero Cruz (PSB) que ficou descontente com a decisão da Justiça Federal de Petrolina em ordenar a paralisação das obras no Matadouro Público. Ronaldo Cancão (PRTB) foi outro a criticar o posicionamento do órgão, afirmando ser prejudicial aos petrolinenses tal medida.

LEIA TAMBÉM:

“Estamos respeitando a Justiça” afirma Aero Cruz sobre matadouro municipal

Secretário garante que reforma do matadouro segue todas as leis 

Justiça Federal suspende obras no matadouro público de Petrolina; Prefeitura afirma que acatará decisão liminar

Segundo Cancão, foi um equívoco da justiça tomar essa decisão. “Foi um equívoco da Justiça Federal interromper a conclusão da obra do Matadouro. Petrolina consome carne clandestina há seis anos, o Matadouro foi feito com todas as normas e exigências federal, o Ministério da Agricultura só liberou a verba depois de atender todos os requisitos necessários da inspeção sanitária”, afirmou o vereador.

Prejuízo aos marchantes 

O edil foi além e lembrou os marchantes do município, afetados diretamente pela ausência do Matadouro. “Os prejuízos são incalculáveis aos marchantes, diminuiu o consumo de carne de compra de carne nas feiras de Petrolina”, disse.

Líder do Governo na Câmara de Vereadores, Aero Cruz (PSB) já havia lamentando a decisão e acompanhou o colega de bancada sobre a população ser a principal atingida. “Nós procuramos corrigir o erro de muitos anos que se passaram nas antigas gestões. Nós vamos mostrar que o equipamento é imprescindível à nossa cidade”, comentou Aero.

Ação popular

Para Aero não há motivação política na decisão, já que a ação popular foi iniciada em outra gestão. “Tudo leva a crer que essa ação foi dada entrada quando o Matadouro estava numa situação ruim, tão ruim que chegou a fechar”, concluiu.

Deixe uma resposta