Comissão de Direitos Humanos de Petrolina emite nota de solidariedade a família de jovens encontrados mortos

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Petrolina emitiu na noite do último sábado (18), uma nota de pesar aos familiares de Matheus dos Santos e Lucas Levi, jovens que estavam desaparecidos desde o dia 11 e foram encontrados mortos na semana passada.

LEIA TAMBÉM

Petrolina: jovens desaparecidos são encontrados mortos

Familiares fazem ato cobrando informações sobre jovens desaparecidos no Mandacaru 2

De acordo com a Comissão, é “extremamente preocupante que numa época em que as políticas sociais de proteção e promoção da dignidade humana estejam sendo destruídas”, numa crítica a atuação da Polícia Militar de Pernambuco, apontada pela família de Mateus como a responsável pelo sumiço dos jovens.

O caso

Lucas, de 20 e Matheus, de 17 foram vistos pela última vez no dia 11 de janeiro. Segundo Elisete dos Santos, mãe de Matheus, os dois foram vistos entrando em uma viatura do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp) e que os próprios policiais teriam retornado para ameaçar quem comentasse o fato.

Em nota enviada ao Blog, a PM informou que está apurando a conduta dos agentes envolvidos na abordagem e destacou que os amigos foram liberados após serem parados. Confira a seguir a nota da Comissão:

É com profundo pesar que a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Petrolina recebe a notícia do assassinato de mais dois jovens negros, pobres e periféricos do nosso município.

A onda crescente de violência que ronda a nossa cidade deve ser tratada pelos governos com foco na prevenção da violência e, principalmente, no enfrentamento às desigualdades e injustiças sociais pelas quais passam a população empobrecida dos nossos bairros periféricos.

É extremamente preocupante que numa época em que as politicas sociais de proteção e promoção da dignidade humana estejam sendo destruídas a ação prioritária do Estado seja investir na repressão policial, muitas vezes de forma truculenta (contra os pobres, pretos e periféricos), como principal prioridade.

Transformar as polícias em principal resposta para esse caos social é colocar em risco toda a sociedade — inclusive a vida dos próprios policiais. Esses, quando transformados em “heróis” se vêm obrigados a resolver problemas que não são da sua responsabilidade. São servidores públicos, maioria de origem periférica, que também vivenciam condições precárias de trabalho. Quando se veem impotentes, incapazes de resolver esses problemas pelos meios legais, muitos adoecem ou passam a cometer ilegalidades, ao ponto de se envolverem até mesmo em grupos de extermínio; outros chegam a atentar contra a própria vida. Daí o motivo de termos no país a polícia que mais mata e a polícia que mais morre.

É diante desse cenário que a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal reafirma o compromisso e abertura para o bom diálogo com a sociedade e todas as instituições interessadas em construir propostas e caminhos para a superação dessa triste realidade.

Aos familiares e amigos dos jovens Matheus e Lucas Levi, nossa solidariedade.

Continuaremos em luta para que Petrolina muito mais que uma referência econômica injusta, passe a ser um município-referência em igualdade de oportunidades e de cultura de paz.

Comissão de Direitos Humanos e Cidadania

Câmara Municipal de Petrolina

Deixe uma resposta